Bush desembarca em Israel para iniciar esforço de paz

George W. Bush deu início naquarta-feira a sua primeira visita a Israel e aos territóriospalestinos como presidente dos EUA, afirmando identificar umanova chance de paz que procurará incentivar. No entanto, não se prevê nenhum grande avanço nos três diasde visita que ocorrem depois da conferência internacionalrealizada em novembro sob o patrocínio dos EUA e que resultouem promessas de Israel e dos palestinos de tentarem selar umacordo sobre a criação de um Estado palestino antes do final domandato de Bush, em janeiro de 2009. Acusado durante anos de negligenciar o conflito maiscomplicado do Oriente Médio, Bush percorreu o tapete vermelhoestendido no aeroporto Ben-Gurion, em Tel Aviv, e falou sobre aobtenção de uma paz duradoura, algo que nenhum dos antecessoresdele conseguiu. "Identificamos uma nova chance de paz aqui na Terra Santa ede liberdade em toda a região", afirmou Bush em uma cerimôniade boas-vindas ocorrida antes de ele voar de helicóptero atéJerusalém, onde se reuniria com o presidente de Israel, ShimonPeres, e o primeiro-ministro do país, Ehud Olmert. "Discutiremos nosso profundo desejo por segurança,liberdade e paz em todo o Oriente Médio." Bush tentará convencer Olmert e o presidente palestino,Mahmoud Abbas, com quem se encontra dentro da Cisjordâniaocupada, na terça-feira, a avançarem no frágil processo de pazrelançado em Annapolis, Maryland (EUA). Mas Olmert e Abbas são considerados politicamente fracos e,segundo analistas, há poucas chances de um acordo sobre acriação de um Estado palestino ser firmado antes de Bush sairda Casa Branca. Há dúvidas sobre a seriedade das promessas feitas pelodirigente norte-americano e sobre a capacidade dele de agircomo um mediador equilibrado entre Israel, tradicional aliadodos EUA, e os palestinos. O Irã continua a pairar no horizonte da viagem de Bush, queinclui visitas à Arábia Saudita e a outros aliados árabes que opresidente espera angariar para seus esforços de brecar acrescente influência iraniana sobre a região. Peres iniciou a visita, durante a cerimônia de boas-vindas,afirmando que Israel estava preocupado com o programa nucleardo Irã -- uma preocupação compartilhada pelo governonorte-americano. "O Irã não deveria subestimar nossadeterminação de nos defendermos", disse Peres. Autoridades israelenses dizem que o Irã, e não o processode paz, será o assunto principal das conversas entre Olmert eBush. Apesar de autoridades norte-americanas terem tentadodiminuir as expectativas geradas pela viagem, a presença deBush representa um evento nacional para os israelenses, algunsdos quais subiram no alto de suas casas para acenar em direçãoao helicóptero dele enquanto o aparelho sobrevoava bairrosjudaicos de Jerusalém. Questionado sobre se Bush tentaria arrancar promessas arespeito das questões centrais, o conselheiro nacional desegurança do presidente norte-americano, Stephen Hadley,respondeu: "Não estamos procurando grandes resultados nestetipo de viagem." Os palestinos estão furiosos com o fato de Israel terautorizado a ampliação de um assentamento que, segundo afirmam,representa mais um passo nos esforços do país para negar-lhesum Estado viável. Já Israel ameaça intensificar as operações militaresrealizadas na Faixa de Gaza em resposta ao disparo de foguetes.A área é controlada pelo Hamas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.