Bush diz a Obama sobre morte de Bin Laden: 'boa escolha'

O ex-presidente dos EUA George W. Bush, que passou anos em busca de Osama bin Laden, disse duas palavras ao presidente Barack Obama quando este o informou sobre a morte de Bin Laden: "Boa decisão".

REUTERS

13 de maio de 2011 | 13h58

Bush, que vem evitando a atenção pública desde que deixou o cargo, em janeiro de 2009, falou sobre a operação militar norte-americana que matou Bin Laden em declarações dadas em uma conferência de administradores de fundos hedge. Um colaborador da ABC News estava presente ao evento e reproduziu suas declarações.

Bush disse que estava comendo em um restaurante de Dallas com sua mulher, Laura, e dois amigos, quando foi avisado de que Obama, seu sucessor na presidência, estava tentando entrar em contato com ele.

"Eu me desculpei e fui para casa para atender ao telefonema", contou Bush. "Obama falou simplesmente: 'Osama bin Laden está morto'."

Depois de Obama lhe ter descrito com detalhes a operação secreta no complexo de Obama no Paquistão e a decisão que tomou de autorizar a missão, Bush disse que falou a Obama: "Boa escolha".

A ABC News disse que Bush falou ao grupo que a morte de Bin Laden foi uma vitória para o povo norte-americano e "uma grande vitória na guerra contra o terror".

Ele disse que os serviços de inteligência dos EUA merecem muito crédito por terem rastreado Bin Laden e falou de um encontro que teve no Afeganistão com a Equipe Seis dos Seals da Marinha, a equipe de comandos altamente treinados que teriam realizado a missão.

"Eles são espantosos, habilidosos, talentosos e corajosos", acrescentou Bush. "Eu disse: 'Espero que vocês tenham tudo o que precisam'. Um sujeito falou: 'Precisamos de sua autorização para entrar no Paquistão e botar para quebrar'."

Bush intensificou a caçada dos EUA a Bin Laden após os ataques de 11 de setembro de 2001 contra Nova York e Washington, mas o líder da Al Qaeda escapou das montanhas de Tora Bora, no Afeganistão, e acabou vivendo em uma grande residência na cidade paquistanesa de Abbottabad, ao lado de uma academia militar, aparentemente durante anos.

O predecessor de Bush, o presidente Bill Clinton, lançou ataques de mísseis contra o complexo habitado por Bin Laden no Afeganistão, em 1998, em uma tentativa infrutífera de matar Bin Laden após os ataques da Al Qaeda contra embaixadas dos EUA na África.

(Reportagem de Steve Holland)

Tudo o que sabemos sobre:
EUABINLADENBUSHOBAMA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.