Bush diz que restituição ajudará economia dos EUA

O presidente norte-americano, GeorgeW. Bush, disse na sexta-feira que a economia dos Estados Unidosestá desaquecida, mas que a restituição do imposto de renda,que deve começar a cair nas contas bancárias dos consumidoresna próxima semana, deve ajudar a reverter o quadro. Bush falou sobre o assunto após alguns dados terem indicadoque a confiança do consumidor é a mais baixa em 26 anos. "Éóbvio que a nossa economia está desaquecida," afirmou Bush, quepediu para os contribuintes contatarem o governo para sabersobre suas possibilidades de restituição, como 600 dólares poradulto e 300 dólares por criança, dependendo da renda de cadaum. "Esse dinheiro vai ajudar os norte-americanos a compensaros altos preços que estamos vendo nas bombas de gasolina e nasmercearias e também dará à nossa economia um empurrão para nosajudar a sair dessa baixa," acrescentou. Líderes democratas no Congresso, entretanto, disseram queas restituições não serão o suficiente para permitir umarecuperação da economia e um segundo pacote de estímulos podeser necessário. "O peso do declínio da economia nas famílias de média ebaixa renda demanda, no meu ponto de vista, demanda umaconsideração sobre um segundo pacote de estímulo," afirmou apresidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, arepórteres em Washington. Pelosi, uma democrata da Califórnia, negou-se a dizer seela estava conseguindo algum progresso em negociações com aadministração Bush para uma medida adicional. Ela sugeriu maisgastos em projetos de infra-estrutura, aumento dos projetos dealimentação do governo e maior benefícios aos desempregados --medidas que foram deixadas de fora do pacote de estímulosaprovado em fevereiro e que está orçado em 152 bilhões dedólares. O Secretário do Tesouro dos EUA, Henry Paulson, disse àReuters na quinta-feira que estava propenso a ouvir as idéiasde Pelosi de dar uma ajuda adicional à economia e organizar umavotação sobre o acordo de livre comércio com a Colômbia,proposto pela administração Bush. Paulson também afirmou que o Tesouro acelerou sua agendapara distribuir as restituições a partir de segunda-feira. Oplanejado anteriormente era liberar os pagamentos no começo demaio. Ele afirmou que os norte-americanos receberão 7,7 milhõesde depósitos na próxima semana, com 50 bilhões de dólares emrestituição entrando na economia do país até o final de maio. Adistribuição de mais de 100 bilhões de dólares será completadaaté o final de junho. Bush disse que a economia do país está enfrentando umdesaquecimento, mas não uma recessão. O cenário apontacrescimento do desemprego e dos preços dos alimentos e daenergia e queda no valor dos imóveis em muitas regiões. (Reportagem adicional de David Morgan; Edição de NeilStempleman)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.