Bush e Brown reforçam posição comum sobre Iraque e Oriente Médio

O presidente dos Estados Unidos,George W. Bush, e o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown,mostraram na segunda-feira que formam uma frente unida quantoao Iraque e quanto à paz no Oriente Médio, na tentativa deafastar os rumores sobre um resfriamento das relações entre osdois países. Depois de várias reportagens indicando que o líderbritânico tentaria se distanciar de Bush e promover umaretirada do Iraque, os dois mandatários estavam dispostos amostrar, em seu primeiro encontro, que pretendem forjar forteslaços entre si. Brown não fez promessas sobre a permanência das forças noIraque, e afirmou apenas que a decisão sobre a transferência docontrole sobre a província de Basra às forças iraquianas vai sebasear apenas na avaliação militar. "Não tenho nenhuma dúvida de que Gordon Brown compreendeque o fracasso no Iraque seria um desastre para a segurança denossos próprios países", disse Bush na entrevista coletivaconjunta, depois da reunião entre os dois no refúgiopresidencial. Ele disse que seu relacionamento com Brown será um"relacionamento estratégico construtivo para o bem de nossospovos." A química entre os dois líderes era evidentemente menor quea entre Bush e o antecessor de Brown, Tony Blair, que deixou ocargo de primeiro-ministro no mês passado. Em contraste com o estilo casual dos encontros entre Blaire Bush, o presidente e o novo líder britânico estavam vestidosformalmente, de terno e gravata, e Brown tinha um ar austero,embora Bush tenha tentado tornar o clima mais leve combrincadeiras frequentes. Brown disse ter afirmado a Bush que a Grã-Bretanha quertrabalhar ao lado dos Estados Unidos em "todos os grandesdesafios," como o terrorismo internacional, o Oriente Médio eas alterações no clima. A respeito do Irã, os dois concordaram com a necessidade deimpor sanções mais rigorosas ao país por causa de seu programanuclear. "Concordamos que as sanções estão funcionando e opróximo passo que estamos dispostos a dar é endurecer assanções com uma nova resolução da ONU", disse Brown. Bush disse também que os dois líderes estão otimistasquanto a um acordo mundial de comércio na rodada de Doha, cujasnegociações voltaram a emperrar em junho. "Gordon Brown trouxe sugestões interessantes para obteravanços", disse Bush. Brown iria se reunir com líderes do Congresso em Washingtonna tarde de segunda-feira, e na terça deve conversar com osecretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, além de fazer um discursona sede da organização.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.