Bush e Congresso têm avaliação negativa, mostra pesquisa

Dois terços dos americanos consideram presidente ruim; 83% avaliam o trabalho dos parlamentares como regular

JOHN WHITESIDES, REUTERS

15 de agosto de 2007 | 10h37

A maioria dos eleitores norte-americanos continua profundamente descontente com o presidente George W. Bush e com o Congresso, dando-lhes uma avaliação negativa pela situação econômica e diplomática do país, segundo pesquisa Reuters/Zogby divulgada nesta quarta-feira, 15.De acordo com a pesquisa, dois terços dos norte-americanos consideram que o país está no rumo errado e dão notas ruins a Bush como presidente. Uma fatia ainda maior, 83%, acha que o Congresso, agora sob controle democrata, faz um trabalho apenas regular ou ruim."O povo norte-americano está de mau humor atualmente e não há sinal de melhoria", disse o pesquisador John Zogby. "Eles podem estar saindo de férias neste mês, mas vão voltar para a mesma coisa de sempre."A avaliação sombria conferida a Bush e ao Congresso, repetindo as cifras do mês anterior, podem ser um sinal de alarme para ambos os partidos, que se preparam para a disputa eleitoral de novembro de 2008.   "Os norte-americanos podem estar num humor antigoverno e antiinstitucional. Neste momento, ninguém recebe boas notas", disse Zogby.A pesquisa ouviu 1.020 possíveis eleitores, de 9 a 11 de agosto. O governo Bush é considerado regular ou ruim por 67%, enquanto apenas 32% o consideram bom ou excelente.No mês passado, a avaliação positiva do presidente era de 34% Em março, a aprovação chegava apenas a 30%.Já a avaliação do Congresso vem piorando desde que os democratas venceram as eleições parlamentares de 2006. Para 15% dos entrevistados, a atuação da Câmara e do Senado é boa ou excelente. Em outubro, nos estertores da legislatura anterior, comandada pelos republicanos, a aprovação ao Congresso era de 23%. Os norte-americanos também estão descontentes com a política econômica (64%) e com a política externa (74%). Só 24 por cento dos entrevistados acham que o país está no rumo certo, enquanto 64%pensam ao contrário.Embora um quarto dos entrevistados tenha pelo menos um pouco de medo de ficar sem trabalho, 59% consideram sua situação pessoal como excelente ou boa."Em algum grau, as pessoas simplesmente se ajustaram à idéia de que não estão melhorando", disse Zogby.Sobre as ameaças vindas do exterior, 51% se sentem "razoavelmente" seguros, 27% se sentem muito seguros e 21% se sentem pouco ou nada seguros.Mais de metade (64%) estão muito ou algo confiantes de que seus filhos terão uma vida menor. Outros 23% têm pouco otimismo nisso, e 7% têm certeza de que a próxima geração viverá pior."Há um certo desconforto com segurança, política externa, política econômica e guerra, e isso se tornou parte da vida," disse Zogby.Mas os norte-americanos continuam se orgulhando dos EUA em algum grau, só 9%disseram não se orgulhar muito.A pesquisa foi feita por telefone, em âmbito nacional, e tem margem de erro de 3,1 pontos percentuais.

Tudo o que sabemos sobre:
EUABUSH

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.