Bush e Karzai discutem estratégia sobre guerra no Afeganistão

O esforço de seis anos parareconstruir o Afeganistão, devastado pela guerra, e a ameaça doTaliban e da Al Qaeda no Paquistão serão os temas principaisdas conversas entre o presidente dos Estados Unidos, George W.Bush, e o presidente afegão, Hamid Karzai. A crise mais imediata, relativa à libertação de 21 refénssul-coreanos capturados pelo Taliban no mês passado, tambémestará em pauta nas discussões em Camp David, que serãoiniciadas no domingo. Dois dos 23 reféns capturados originalmente foramassassinados e a Coréia do Sul pressiona os Estados Unidos e oAfeganistão a fazer todo o possível para negociar a libertaçãodos que ainda são mantidos em cativeiro. Autoridades dos EUA descreveram a reunião de dois diasentre Bush e Karzai como uma sessão de estratégia sobre oAfeganistão, onde a violência subiu nos últimos 18 meses para opior nível desde a caçada ao Taliban, em 2001. Karzai chega na tarde de domingo ao retiro presidencial emCamp David. Na segunda-feira, os dois líderes devem participarde uma coletiva de imprensa agendada para 12h25 (horário deBrasília). Karzai, alvo de três tentativas de assassinato, éconsiderado um aliado crucial para os EUA e possui apoio doCongresso norte-americano e da administração Bush. Apesar disso, o presidente afegão vem encontrandodificuldades para construir um governo centralizado em um paíscom histórico de populações tribais desunidas e com grandecontrole de líderes militares em muitas das províncias. Karzai está lidando com numerosos desafios, incluindoataques a bomba do Taliban, a elevação no número de civismortos no fogo cruzado entre governo e milícias e a expansão docomércio de ópio. O Afeganistão distribui mais de 90 por cento do ópioconsumido no mundo, e a safra tornou-se uma fonte de dinheiropara o Taliban e uma influência de corrupção no governo. (Reportagem adicional por Paul Eckert)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.