Bush e papa têm diferenças quanto à política internacional

O papa Bento 16 e o presidentenorte-americano, George W. Bush, discordam quanto à guerra noIraque e outras questões de política internacional, mas oencontro entre ambos na Casa Branca, que ocorre nesta semana,pode se concentrar em áreas em que os dois estão de acordo,como o aborto. O Vaticano se opõe fortemente à guerra do Iraque, poisacredita que ela não segue a doutrina católica da "guerrajusta", que justifica conflitos por defesa, não por ataquepreventivo, dizem analistas. Bush argumenta que a invasão do Iraque em 2003, lideradapelos Estados Unidos, foi necessária para remover a ameaça deSaddam Hussein no poder e ajudar a espalhar a democracia peloOriente Médio. A guerra provavelmente aparecerá nas conversas, mas nenhumcomunicado público será feito porque o papa costuma evitarconflitos com os líderes dos países que visita. O papa Bento 16tem estado bastante preocupado com a situação no Iraque,especialmente com a minoria cristã e com a morte de umarcebispo caldeu sequestrado por militantes. "Desde o começo, o Vaticano tem sérias preocupações com odecoro da guerra", disse Stephen Schnek, cientista político daUniversidade Católica. Outras diferenças derivam do fato de que o Vaticano temrelações diplomáticas com Cuba, apóia o diálogo com o Irã e aSíria e é entusiasta do trabalhar com a Organização das NaçõesUnidas (ONU) e outros órgãos internacionais. "A abordagem do Vaticano é de que você deve falar com todomundo, conversar nunca dói. E você tenta achar soluçõespacíficas para estes problemas", disse o reverendo ThomasResse, teólogo da Universidade de Georgetown. "O Vaticanosempre foi um grande apoiador das Nações Unidas e dasabordagens multilaterais e multinacionais aos problemas." Ambos buscam um acordo entre israelenses e palestinos. Bushos pressiona para chegar a um acordo em seu último ano nogabinete, tendo visitado Israel e Cisjordânia pela primeira vezcomo presidente. Os dois têm personalidades e administrações contrastantes. "Ele (o papa) realmente tem uma visão européia do mundo. Eisso, é claro, é bem diferente da forma como a administraçãoBush vê o mundo", disse Schneck.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.