Bush elogia cooperação de xeque assassinado em Anbar

Apresentando visão positiva da região, presidente diz que 'bravo homem' liderou luta contra Al-Qaeda

Associated Press,

14 de setembro de 2007 | 00h10

O presidente dos EUA, George W. Bush, elogiou o xeque iraquiano que foi assassinado em Anbar nesta quinta-feira, 13, como um bravo homem "que ajudou a liderar a revolta contra a Al-Qaeda", que levou à cooperação entre a população local e os Marines americanos.  Veja TambémLeia o discurso na íntegra (em inglês)Especial: a ocupação do IraqueDemocratas prometem mudar rumo da guerraLíder sunita que se reuniu com Bush é mortoLíder sunita morreu por se opor à Al-Qaeda Bush reduz tropas, mas diz que EUA não abandonam o IraqueEm seu discurso de 15 minutos nesta quinta, sobre a situação do Iraque, Bush anunciou seus planos para retirar 30 mil soldados do país. Durante o pronunciamento, o presidente apresentou uma visão positiva de Anbar - que já foi a província mais mortal para tropas americanas.Ele disse que a inteligência americana concluiu em um relatório do ano passado que a província estava perdida.Quanto à retirada, Bush disse que mesmo assim "manteremos a pressão nos terroritas. A população local está sofrendo sob o controle da Al-Qaeda, aos moldes do Taleban, e estavam cansados disso. Então nos pediram ajuda". "Hoje, uma cidade, onde a Al-Qaeda uma vez plantou sua bandeira, está começando a voltar ao normal", disse. "Os cidadãos de Anbar que já temeram falar com soldados americanos ou iraquianos agora vêm até nós contar onde os terroristas estão escondidos. Jovens sunitas que se juntavam à insurgência estão se alistando no Exército e na polícia."Bush não mencionou o nome do xeque Abdul-Sattar Abu Risha, líder local que foi assassinado em Anbar nesta quinta com seus quatro seguranças, mas disse que a morte do xeque provou que "o inimigo continua ativo e mortal". Ele citou "um amigo líder sunita" ao dizer que "estamos determinados a contra-atacar e continuar o trabalho". "E enquanto eles fizerem, poderão contar com o apoio contínuo dos EUA, disse o presidente.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIraqueAnbarAbu Risha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.