Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Bush elogia retirada de células-tronco de células da pele

Cientistas que produzemcélulas-tronco de células comuns da pele mostraram queexperimentos com embriões humanos não são necessários, disse opresidente dos Estados Unidos, George W. Bush em seu discursosobre o Estado da União na madrugada de terça-feira (horário deBrasília). Bush acrescentou que seu governo vai ampliar ofinanciamento "para este tipo de pesquisa médica ética". No final do ano passado, três equipes de cientistasinformaram que conseguiram fazer com que células comuns da pelefuncionassem como células-tronco embrionárias, que são aquelasque têm capacidade de produzir outros tipos de tecidos ecélulas. "Esse avanço tem o potencial de nos levar além dos debatesdo passado que causam divisões, ao ampliar as fronteiras damedicina sem destruir a vida humana", disse Bush. "Por isso estamos ampliando o financiamento para este tipode pesquisa médica ética." As primeiras fontes de células-tronco foram embriõeshumanos deixados em clínicas de fertilização. Cientistas tambémtêm buscado extrair células-tronco usando a tecnologia daclonagem. Bush se opõe a ambos os métodos e um de seus primeiros atoscomo presidente em 2001 foi permitir apenas um financiamentofederal bastante limitado para esse tipo de experimento. Eletambém vetou uma lei que ampliava o financiamento parapesquisas com células-tronco embrionárias. Os cientistas esperam usar as células-tronco paratransformar a medicina, dando tratamento de regeneração paraportadores de diabetes e pessoas que sofreram ferimentos quedeixaram sequelas, além de dar novas informações para otratamento de doenças como câncer e Aids. Especialistas dizemque as restrições impediram progressos nessa área.

REUTERS

29 de janeiro de 2008 | 01h56

Tudo o que sabemos sobre:
EUABUSHCELULASTRONCO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.