Bush fala com cautela sobre Putin e democracia russa

Presidente americano diz que é preciso "esperar" para ver atuação de atual presidente como premiê do país-

Associated Press,

20 de dezembro de 2007 | 15h46

O presidente americano, George W. Bush, falou com cautela sobre a situação da democracia na Rússia sob o governo de Vladimir Putin, que cercou o controle aos meios de comunicação e promoveu uma manobra política para se manter no poder após deixar o cargo, em março de 2008. Putin concordou em ser o primeiro-ministro russo se o seu candidato à Presidência, Dmitry Medvedev, for eleito para o cargo - o que já é esperado.   Veja também: Bush faz balanço do ano e diz ter perdido paciência com a Síria Bush critica política iraquiana e pede paciência no Afeganistão Bush se recusa a comentar sobre destruíção de fitas da CIA     Putin foi nomeado pela revista Time como a "Personalidade do ano" pela estabilidade restabelecida na Rússia após a queda da União Soviética e por recolocar o país como uma potência mundial.   "Eu acredito que ele foi escolhido porque foi um líder que pode ser seguido", disse Bush durante a coletiva nesta quinta-feira. "A questão fundamental é, dar conseqüência para finalizar o quê? O que será da Rússia daqui 10 anos e com o que ela se parecerá? Minha esperança, claro, é que ela seja um país que entenda a necessidade de verificações e equilíbrio, liberdade e eleições justas e uma imprensa vibrante".   Bush disse ainda que não conversou com Putin sobre o cargo de primeiro-ministro russo. "Acredito que é melhor esperarmos para ver". "O que será interessante é como o presidente russo levará os negócios - o novo presidente russo". "Nós estaremos juntos provavelmente por várias vezes no próximo ano e será interessante acompanhar como a política internacional será conduzida e o papel que Putin pode ter nessa questão".

Tudo o que sabemos sobre:
BushEUARússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.