Bush garante a Abbas que Estado palestino é prioridade

O presidente dos Estados Unidos,George W. Bush, assegurou na quinta-feira ao presidentepalestino, Mahmoud Abbas, que a criação de um Estado palestinocontinuará sendo uma prioridade nos seus últimos dez meses demandato. Bush recebeu Abbas na Casa Branca num momento de crescenteceticismo a respeito do processo de paz do Oriente Médio,retomado em novembro sob auspícios dos EUA. Abbas manifestou confiança no compromisso de Bush com umacordo que leve à criação do Estado palestino, mas admitiu queisso não será fácil, após tantas décadas de desconfiança entreas partes envolvidas. "Não posso dizer que o caminho da paz esteja pavimentadocom flores. Está pavimentado com obstáculos", afirmou Abbas aolado de Bush, no Salão Oval. "Mas juntos vamos nos empenharmuito." O presidente palestino está enfraquecido politicamente porter perdido o controle da Faixa de Gaza para o grupo islâmicoHamas, em junho. A visita à Casa Branca foi um prelúdio davisita de Bush a Israel, em meados de maio, para celebrar os 60anos do Estado judeu. Bush pretende voltar a se encontrar comAbbas durante essa viagem no balneário egípcio de Sharm ElSheikh. As negociações entre Abbas e o primeiro-ministro de Israel,Ehud Olmert, se arrastam desde a retomada do diálogo, há cincomeses, embora ambos se digam dispostos a obter um acordo aindadurante o mandato de Bush, que termina em janeiro. Correndo contra o calendário, o governo Bush tentafortalecer Abbas contra o Hamas, e o presidentenorte-americano, que passou anos afastado do problema, disse aopalestino que continua comprometido em alcançar um acordo queleve à coexistência pacífica e à criação do Estado palestino. "Assegurei ao presidente que um Estado palestino é uma altaprioridade para mim e para meu governo, um Estado viável, umEstado que não pareça um queijo suíço", afirmou Bush ajornalistas. "Estou confiante de que podemos alcançar a definição de umEstado. Também estou confiante de que vai dar trabalho. Paraeste fim, voltarei ao Oriente Médio."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.