Bush indica juiz conservador para Secretaria de Justiça

Embora declaradamente de direita, Michael Mukasey é visto pela oposição como alguém fiel ao império da lei

Reuters,

17 de setembro de 2007 | 13h10

O presidente dos EUA, George W. Bush, indicou nesta segunda-feira, 17, o ex-juiz federal conservador Michael Mukasey para o cargo do secretário de Justiça do país. Ele substituirá o desgastado Alberto Gonzales, que pediu demisão em agosto.  A escolha indica que Bush procurou alguém capaz de dar continuidade à sua guerra ao terror e que ao mesmo tempo não sofra rejeições por parte dos senadores democratas, de quem a aprovação dependerá. Ao que tudo indica, no entanto, Mukasey, de 66 anos, será confirmado com tranqüilidade. Ele foi prontamente elogiado tanto por democratas (oposição) quanto por republicanos (governistas).  Caso seja aceito pelos senadores, Mukasey será o 81º secretário de Justiça da história dos EUA e o terceiro da Administração Bush. No anúncio, realizado na Casa Branca, Bush disse que Mukasey tem um papel "muito importante a realizar em tempos de guerra", e acrescentou que o secretário tem "credenciais impressionantes". "O juiz Mukasey possui idéias claras a respeito das ameaças enfrentadas por nossa nação", afirmou Bush durante a secessão em que oficializou a escolha.  "É vital que o cargo de secretário da Justiça seja ocupado rapidamente, e eu conclamou o Senado a confirmar o nome do juiz Mukasey prontamente", disse.  Mukasey substituirá Gonzales, que renunciou no mês passado após meses de desgate devido a suposta demissão política de nove procuradores federais.  O ex-secretário também foi criticado por implementar políticas de combate ao terrorismo que, segundo alguns, infringem as liberdades civis.  O novo secretário terá a difícil tarefa de tranqüilizar o ambiente e devolver ao departamento o prestígio que ficou em xeque por causa da gestão de Gonzales. Nome de consenso O novo ocupante do cargo, um especialista em questões de segurança nacional, tornou-se a opção de Bush depois de o líder do Partido Democrata no Senado, Harry Reid, ter dito que bloquearia a nomeação de um outro favorito ao posto, o ex-advogado-geral da União Theodore Olson. Para o democrata, Olson é excessivamente ligado ao governo.  O senador democrata Charles Schumer, que liderou a campanha para tirar Gonzales do cargo, afirmou que Mukasey tinha chances de se tornar um nome de consenso.  "Apesar de ser um conservador declarado, o juiz Mukasey parece ser o tipo de candidato que colocaria o império da lei em primeiro lugar e que mostraria independência em relação à Casa Branca", disse Schumer, que é de Nova York, onde Mukasey trabalhou.  "Certamente que gostaríamos de verificar a postura dele em relação a questões importantes como o uso de grampos e a escolha de procuradores americanos, mas ele é muito melhor do que alguns dos nomes que vinham sendo cogitados."  Passado exemplar Tendo trabalhado em uma corte federal de Nova York durante duas décadas, Mukasey presidiu o órgão em vários casos de destaque, entre eles o que julgou os acusados pelo atentado a bomba de 1993 contra o World Trade Center.  Até sua indicação para a secretaria de Justiça, Mukasey trabalhou para o escritório de advogados Patterson Belknap Webb & Tyler em Nova York e foi assessor legal do pré-candidato republicano à Presidência Rudolph Giuliani, a quem conheceu antes de ser juiz na Procuradoria de Nova York. Mukasey foi o juiz que presidiu o juramento de Giuliani quando este tomou posse como prefeito em 1994 e 1998.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.