Bush não telefonou para Musharraf para falar de 'erro'

O presidente dos Estados Unidos,George W. Bush, não telefonou para o líder paquistanês, PervezMusharraf, desde que este impôs estado de emergência e deteveoposicionistas, numa crise que a Casa Branca na terça-feiraqualificou como "um erro". Dana Perino, porta-voz de Bush, também descreveu a situaçãono Paquistão como um revés, mas disse que seria prematurochamar Musharraf de ditador. Ela evitou responder uma pergunta sobre por que Bush nãopegou o telefone para falar pessoalmente com Musharraf, que eleconsidera um aliado importante na guerra contra o terrorismo.Perino se limitou a dizer que a secretária de EstadoCondoleezza Rice está tratando do assunto. Centenas de advogados, políticos de oposição e ativistasforam presos desde o início do estado de emergência, no sábado. "O presidente Musharraf, acreditamos, cometeu um erro.Estamos gravemente preocupados com a situação", disse Perino."Estamos pedindo a volta imediata ao regime civil, e estamos emcomunicação com eles porque temos muitos interessescooperativos." Embora tenham o Paquistão como aliado contra o Taliban e aAl Qaeda, os EUA pressionam Musharraf a redemocratizar o país,inclusive deixando seu cargo de comandante do Exército. (Por Tabassum Zakaria)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.