Bush nega instalação de novas bases militares na África

Presidente, contudo, não descarta criação de 'algum tipo de escritório em algum lugar do continente'

Efe,

20 de fevereiro de 2008 | 12h00

O presidente norte-americano George W. Bush afirmou nesta quarta-feira, 20, que os Estados Unidos não têm intenção de construir novas bases militares na África, embora não descarte a possibilidade de instalar "algum tipo de escritório em algum lugar do continente". Em entrevista coletiva em Acra, capital de Gana, na penúltima etapa de uma viagem por cinco países da África, Bush disse que queria "refutar a idéia de que os EUA de repente queiram trazer todo tipo de militares à África". "São tolices", insistiu o governante. Em suas declarações, Bush, que estava acompanhado pelo presidente de Gana, John Kufuor, insistiu que a intenção dos EUA é tão somente dar assistência aos líderes da África "para que sejam mais capazes de fazer frente a seus conflitos". Entre as medidas que realiza para cumprir essa missão está o alistamento militar. "Não temos a intenção de acrescentar novas bases", disse Bush. A única base militar que os EUA têm na África Subsaariana está em Yibuti, um país estrategicamente situado frente ao golfo de Áden e crucial na luta contra o terrorismo. "Isso não significa que chegaremos a montar algum tipo de escritório em algum lugar da África. Não decidimos isso ainda. É um novo conceito". O governante não deu mais detalhes a respeito e quais seriam as funções desse escritório. Bush começou na noite de sábado passado uma viagem pela África que iniciou em Benin, passando pela Tanzânia e Ruanda. Nesta quinta-feira, 21, após terminar sua estada oficial em Gana, visitará por último a Libéria. Na Tanzânia e em Gana surgiram temores sobre uma suposta intenção de Bush em convencer os líderes desses países de instalar bases militares ou a sede do Comando Africano do Pentágono (Africom), que atualmente está na Alemanha. Só a Libéria - país criado originalmente pelos EUA com o objetivo de dar uma nação aos antigos escravos negros - se ofereceu para abrigar a sede da Africom, mas, por enquanto, o Pentágono decidiu mantê-la na Alemanha.

Mais conteúdo sobre:
BushÁfrica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.