Bush pede ao Congresso que espere relatório sobre o Iraque

O presidente dos Estados Unidos,George W. Bush, sob pressão dos democratas para começar aretirar as tropas norte-americanas do Iraque, pediu nestasexta-feira ao Congresso que espere um importante relatóriosobre sua estratégia antes de qualquer decisão sobre a guerra. "As apostas no Iraque são altas demais e as consequênciassão graves demais para a nossa segurança aqui dentro parapermitir que a política prejudique a missão dos nossos homens emulheres fardados", disse Bush em nota após visita a militaresno Pentágono. A estratégia adotada neste ano por Bush, que envioumilhares de soldados adicionais para tentar controlar Bagdá e aprovíncia de Anbar, será o principal assunto do Congresso apóso fim do recesso de verão, quando os parlamentares devem teracesso a vários relatórios e audiências sobre o tema. O mais importante será a avaliação do general DavidPetraeus, comandante dos EUA no Iraque, e do embaixador emBagdá, Ryan Crocker, que vão depor no dia 10 em uma sessãoconjunta das comissões de Serviços Armados e RelaçõesExteriores da Câmara dos Deputados. A Casa Branca tem até 15 de setembro para apresentar umrelatório a respeito dos progressos políticos e militares noIraque. Esse texto pode ser decisivo para a permanência ouretirada das tropas. "Este relatório de status chega menos de três meses depoisde nossa nova estratégia se tornar plenamente operacional, evai avaliar o que está indo bem, o que pode ser melhorado equais ajustes podem ser feitos nos próximos meses", disse. "O Congresso solicitou essa avaliação, e os membros doCongresso devem reservar seu julgamento até que a tenhamescutado." Alguns democratas já propuseram que o primeiro-ministro doIraque, Nuri Al Maliki, seja substituído, e devem renovar osapelos pela retirada das forças norte-americanas, já que osrelatórios provavelmente mostrarão demora para os progressospolíticos. "O aumento (de tropas ordenado) pelo presidente fracassou,e não há final à vista para a guerra do Iraque. Isto é o queaprendi em minha visita no verão (do Hemisfério Norte) àquelepaís devastado", disse o deputado democrata Jan Schakowsky noprograma semanal de rádio do partido, que vai ao ar no sábado. REUTERS MS

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.