Bush pede mais poderes aos serviços secretos dos EUA

Senado aprovou proposta que permite escutas telefônicas sem autorização a pedido da Casa Branca

EFE

04 de agosto de 2007 | 12h45

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, pediu à Câmara de Representantes que aprove o projeto de lei que dá poder temporário às agências de espionagem do país para realizarem escutas sem autorização judicial.   "Hoje a Câmara de Representantes tem a oportunidade de analisar o projeto de lei, aprová-lo e me enviar para que assine", afirmou Bush em comunicado.   O Senado aprovou a proposta na sexta-feira por 60 votos a favor e 28 contra, a pedido da Casa Branca. O projeto de lei permite escutas de ligações telefônicas, além de interceptação de e-mails, de pessoas nos Estados Unidos que se comunicam com indivíduos no exterior.   A norma atual - conhecida como "Lei de Supervisão de Dados de Inteligência sobre Estrangeiros" (Fisa, sigla em inglês) e datada de 1978 - requer a autorização de um tribunal especial para realizar as escutas.   O projeto de lei requer que os legisladores voltem a analisar suas cláusulas principais seis meses após sua aprovação. Bush disse neste sábado, 4, que o texto "dá aos profissionais de inteligência a autoridade e as ferramentas legais necessárias para a segurança dos Estados Unidos".   "Proteger os Estados Unidos é nossa obrigação mais solene, e peço que a Câmara Baixa aprove o projeto sem demora", acrescentou.   A Câmara de Representantes deveria ter encerrado suas sessões na sexta-feira e entrado em recesso, mas continuará trabalhando para tratar da proposta, além de outros dois projetos sobre energia e despesas com a defesa.

Tudo o que sabemos sobre:
terrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.