Bush quer saída de 5.700 soldados do Iraque até o fim do ano

O presidente dos EUA, George W.Bush, pretende retirar 5.700 soldados do Iraque até dezembro eaceitou as recomendações sobre o volume do contingente feitaspor altos-funcionários norte-americanos no Iraque, disse umaimportante fonte do governo na quinta-feira. Em discurso a ser transmitido pela TV na noite dequinta-feira, Bush também dará aval à proposta de reduzir apresença militar norte-americana de 20 para 15 brigadas, disseessa fonte, sem citar prazos. "O presidente vai aceitar essa recomendação e implementá-lacomo comandante-em-chefe", disse o funcionário. Em busca de apoio popular contra a ofensiva democrata peladesocupação, Bush fará o pronunciamento pela TV às 22h (hora deBrasília), apenas dois dias depois do importante depoimento aoCongresso dos principais representantes civil e militar dos EUAno Iraque. Ele vai manifestar apoio à recomendação do general DavidPetraeus para a retirada gradual de 30 mil dos atuais 169 milsoldados até meados do ano que vem. Na prática, isso significadeixar o contingente com o mesmo tamanho de antes do envio dereforços determinado em janeiro por Bush. A retirada não é tão rápida nem ampla quanto os democratasqueriam, mas pode dar mais tempo a Bush, que prometeu naquinta-feira "apresentar uma visão" para o futuro doenvolvimento norte-americano no Iraque, quatro anos e meiodepois da invasão que derrubou o regime de Saddam Hussein. Mas a Casa Branca antecipa que não haverá mudanças radicaisna guerra, de modo que dificilmente muitos norte-americanosficarão convencidos --segundo as pesquisas, dois terços delesatualmente são contra a guerra. A bancada democrata no Congresso não se convenceu com osrelatos de progressos no Iraque feitos pelo general Petraeus. Apresidente da Câmara, Nancy Pelosi, acusou Bush de na práticater se comprometido com pelo menos dez anos de presença dos EUAno Iraque. Alguns republicanos também manifestam dúvidas com aestratégia da Casa Branca. Os democratas insistem ainda que a Casa Branca estádistorcendo o que o Pentágono vem dizendo há meses --que oenvio de reforços ao Iraque tem prazo de validade, devido aorisco de sobrecarregar as Forças Armadas. Mesmo com a retirada de 30 mil soldados, os EUAcontinuariam com 130 mil no Iraque, e Petraeus disse que só apartir de março será possível avaliar se e quando haverá novasreduções. Salientando a importância que o governo dá ao discurso dequinta-feira, a Casa Branca disse que ele passou por mais de 20versões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.