Bush reduz para 12 meses a permanência de tropas no Iraque

Após avanços na segurança, presidente diminui tempos da missão das tropas americanas no conflito iraquiano

Efe e Associated Press,

31 de julho de 2008 | 09h56

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse nesta quinta-feira, 31, que houve progressos significativos na guerra no Iraque e que a melhora da segurança permitiu uma redução na presença militar americana. Durante pronunciamento realizado nesta manhã na Casa Branca, Bush anunciou ainda que a partir de agora as missões dos militares americanos no Iraque serão reduzidas de 15 meses para um ano.   Veja também:  Cai o número de americanos mortos em combate no Iraque Ocupação do Iraque   Bush reconheceu avanços nas discussões de um acordo estratégico com o Iraque, e afirmou que "os terroristas estão em fuga". Segundo o presidente americano, "houve um mês de notícias animadoras do Iraque: a violência está em seu nível mais baixo desde 2004".   Segundo Bush, os Estados Unidos já retiraram do Iraque as cinco brigadas de combate do Exército e as três unidades da infantaria da Marinha que constituíram a escalada militar ordenada pelo presidente em janeiro de 2007. Além disso, a melhoria da situação de segurança no Iraque e o aumento da capacidade das forças do governo de Bagdá permitiram reduzir de 15 para 12 meses a duração dos serviços dos soldados dos EUA em zona de combate.   Bush salientou que o comandante militar americano no Iraque, general David Petraeus, e o embaixador dos EUA em Bagdá, Ryan Crocker, "advertem que o progresso ainda é reversível, mas reportam o que parece ser um grau de durabilidade nos ganhos obtidos". "Estamos agora no terceiro mês consecutivo de redução substancial do nível de violência", celebrou o presidente americano.   Para Bush, a redução "diminuirá o fardo sobre nossas tropas e tornará a vida mais fácil para as maravilhosas famílias de nossos militares". O pronunciamento de Bush sobre a situação no Iraque foi anunciado com pouca antecedência aos jornalistas que cobrem a Casa Branca. A guerra no Iraque está em seu sexto ano e foi registrada uma redução substancial da violência no país ao longo das últimas semanas.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.