Bush sai em defesa de seu indicado ao Departamento de Justiça

O presidente dos Estados Unidos,George W. Bush, defendeu na quinta-feira seu indicado asecretário da Justiça, Michael Mukasey, que está sendoduramente criticado pelos democratas do Senado por se recusar adizer se considera tortura o método de simulação de afogamento. "Acho que as perguntas que fizeram a ele não são justas",disse Bush numa sessão com repórteres no salão Oval. "Pediram aele que desse opiniões sobre um programa --ou técnicas de umprograma-- sobre o qual ele não recebeu informações". O empenho de Bush para conseguir a confirmação da nomeaçãode Mukasey no Senado está enfrentando dificuldades, porque osdemocratas manifestaram preocupação com o fato de o indicadonão querer rejeitar publicamente a técnica de interrogatório. Bush deve dar um discurso sobre a "guerra contra o terror"e pedir ao Senado que confirme logo o nome de Mukasey, juiz eprocurador federal aposentado. "Vou defender --e acredito piamente que seja verdade-- queo juiz Mukasey não está recebendo um tratamento justo", disseBush. O governo dos EUA é acusado de usar a tortura na guerracontra o terrorismo, e há informações de que a CIA tenha usadovárias vezes a técnica da simulação de afogamento depois dosataques de 11 de setembro. Apesar de Bush garantir que proíbe a tortura, as técnicasde interrogatório não foram tornadas públicas. Mukasey escreveu na terça-feira aos dez democratas daComissão Judiciária do Senado que o afogamento simulado, daforma como eles o descreveram, é "repugnante". Mas Mukasey disse que não sabe se os métodos deinterrogatório dos EUA violam as leis contra a tortura. Eleprometeu descobrir e tomar medidas se for preciso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.