Bush traça seu perfil ideal para próximo presidente dos EUA

O presidente dos Estados Unidos,George W. Bush, manteve na quinta-feira o silêncio sobre suaspreferências para as eleições de 2008, mas deu várias dicassobre quais qualificações ele considera serem as principaispara o cargo. Apesar de ter vencido duas vezes a corrida à Casa Branca,Bush recusou-se a dar opiniões, mesmo diante da insistência dosjornalistas em descobrir quem é o seu preferido para ser ocandidato do Partido Republicano. Mas ele não resistiu a oferecer alguns palpites sobre asqualidades supostamente essenciais ao cargo: princípios firmesacima de tudo, disse ele, e também saber receber opiniões "semverniz" dos assessores. Bush está numa posição inédita entre os presidentesnorte-americanos das últimas décadas -- não tem um "herdeiroaparente" porque seu vice, Dick Cheney, não quis concorrer. Assim, Bush apoiará quem for o escolhido nas primáriasrepublicanas, que começam dentro de duas semanas, com aconvenção de Iowa. Para o presidente, o importante é que seja alguém que tenha"um conjunto de princípios sólidos dos quais não vai sedesviar", disse ele. "Quais são os princípios sobre os quaisvocê vai se basear, nos bons e maus momentos? Qual será a basepara as suas decisões?". Bush disse ainda "Que processos você terá em funcionamentopara garantir que receberá a opinião sem verniz dosassessores?". Apesar de se colocar de fora da campanha, Bush vem sendo umtema dela, principalmente por iniciativa dos democratas, já queo presidente tem menos de 30 por cento de aprovação. Já os republicanos raramente o citam -- notável exceção, nofim de semana passado, foi o ex-governador de Arkansas MikeHuckabee, em momento de ascensão nas pesquisas, que criticou apolítica externa de Bush. "Essa é uma forma inteligente de me colocar na corrida",ironizou Bush a respeito das críticas feitas pelo partidário. Ele também descartou uma idéia vinda da campanha dademocrata Hillary Clinton -- a de um tour pelo mundo deex-presidentes com Bill Clinton e George Bush pai para melhorara imagem dos EUA no exterior.. O atual presidente disse que seu pai não consideranecessária essa missão para melhorar a imagem do país, e queportanto será "a viagem de um homem só." "Isso é o que eu faço na minha presidência", disse Bush."Vou por aí difundindo a boa-vontade e falando da importânciade difundir a liberdade e a paz."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.