Bush visita áreas atingidas pelo Gustav nesta quarta-feira

Desabrigados de Nova Orleans podem voltar na quinta; não há previsão para restabelecer eletricidade e esgoto

Agências internacionais,

03 de setembro de 2008 | 09h27

O presidente dos EUA, George W. Bush, deve visitar nesta quarta-feira, 3, o Estado da Louisiana para verificar os estragos provocados pelo furacão Gustav enquanto milhares de pessoas que fugiram de Nova Orleans preparavam-se para regressar à cidade na qual há dificuldades para restabelecer o fornecimento de energia e os serviços básicos. O prefeito da cidade, Ray Nagin, afirmou que os moradores que deixaram a cidade poderão retornar a partir de quinta-feira, desde que aceitem enfrentar os riscos ainda existentes. Metade da cidade ainda está sem energia elétrica e o sistema de esgoto havia sido danificado, e o toque de recolher imposto como medida de precaução ainda estará em vigor.    Veja também: Galeria de fotos  A rota do furacão Gustav    Os diques de New Orleans suportaram os fortes ventos e as ressacas. Gustav, que chega na quinta ao Arkansas como uma tempestade tropical, deixou 8 mortos nos EUA. "Minha opinião é que a cidade ainda está num estado muito vulnerável", afirmou Nagin no final da noite de terça-feira. Milhares de pessoas deixaram a região do Golfo do México antes do fenômeno atingir o país na terça-feira, na categoria 2, e aguardam em abrigos superlotados para retornar para suas residências. Mas na noite de terça, pelo menos 800 mil casas ainda estavam sem eletricidade, 77 mil delas em Nova Orleans. Oficiais afirmam que não há previsão para os reparos das redes de transmissão atingidas.   A visita a ser realizada por Bush, criticado duramente por causa da demora do governo federal em responder ao furacão Katrina em 2005, faz parte dos esforços das autoridades para mostrar que aprenderam a lição com aquela tempestade, que matou 1.500 pessoas e deixou US$ 80 bilhões em danos. O presidente, que não participou da Convenção Nacional Republicana a fim de supervisionar a resposta ao Gustav, deve chegar a Baton Rouge na quarta-feira de manhã, no momento em que moradores da área, localizada nos arredores de Nova Orleans, começam a regressar.   Na terça-feira, Bush declarou uma situação de desastre em grande parte da Louisiana. A declaração de desastre federal abre as portas para o envio de ajuda a fim de prover abrigo temporário para cerca de 2 milhões de pessoas que fugiram da tempestade e para realizar empréstimos a juros baixos a fim de cobrir os danos que não contavam com seguro.   Seguradoras estimam que o Gustav provocou prejuízos entre US$ 2 e 10 bilhões. O valor é alto, mas incomparável os US$ 41 bilhões provocados pelo Katrina, em 2005. O governador da Louisiana, Bobby Jindal, afirmou que o governo federal prometeu que aprovará a declaração de zona de desastre, permitindo que os moradores de 34 comunidades recebam ajuda financeira para reconstrução. "A mensagem é a seguinte: queremos que vocês voltem, verifiquem suas casas, tenham certeza de que estão confortáveis e tomem uma decisão inteligente sobre se desejam ou não ficar neste ambiente", afirmou o prefeito a repórteres.   Traumatizado com os saques ocorridos em 2005, o prefeito de New Orleans, Ray Nagin, mantém a cidade sob toque de recolher. Qualquer um que sair na rua pode ser preso. Os acessos à cidade também estão fechados. Só equipes de emergência, como técnicos da companhia de eletricidade Entergy e soldados encarregados de desbloquear as vias, além de jornalistas, podem passar pelos bloqueios erguidos nas estradas pela polícia.   O presidente americano Bush viajará para as regiões afetadas pela passagem do furacão. Apesar do trajeto a ser percorrido pelo Chefe de Estado não ter sido detalhado, a Casa Branca informou que Bush fará várias paradas ao longo da Louisiana.   Matéria atualizada às 11h25.

Tudo o que sabemos sobre:
GustavEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.