Paul Sancya/AP
Paul Sancya/AP

Cain passa ileso por debate entre pré-candidatos republicanos

Rivais evitaram ataques ligados às acusações de assédio sexual feitas contra ele

REUTERS

10 de novembro de 2011 | 09h53

ROCHESTER - O empresário Herman Cain escapou praticamente ileso do debate de quarta-feira, 9, entre os pré-candidatos republicanos a presidente dos EUA, já que seus rivais evitaram ataques ligados às acusações de assédio sexual feitas contra ele.

Cain, ex-executivo do setor de restaurantes, aparece como líder da disputa em algumas pesquisas. Ele enfrentou apenas uma pergunta relacionada às acusações feitas recentemente por quatro mulheres, todas elas relativas ao final da década de 1990.

"O povo norte-americano merece mais do que alguém ser julgado na corte da opinião pública com base em acusações infundadas", disse Cain no debate realizado na Universidade Oakland, em Rochester (Michigan).

Cain, novato em disputas eleitorais, nega as acusações de assédio sexual, e diz que elas não abalaram o entusiasmo dos seus apoiadores. "Eles não se importam com um assassinato do caráter, eles se importam com liderança e com levar o país para frente", disse ele, sob aplausos.

As acusações já reduziram em alguns pontos percentuais a avaliação favorável sobre Cain nas pesquisas, e elas podem abrir espaço para outros candidatos que buscam o eleitorado conservador, tentando se posicionar como uma alternativa ao moderado Mitt Romney.

O vencedor do processo interno do Partido Republicano enfrenta o presidente Barack Obama, democrata, nas eleições gerais de novembro de 2012.

Cain provocou certa surpresa durante o debate ao se referir à deputada democrata Nancy Pelosi, ex-presidente da Câmara, como "Princesa Nancy" - termo que depois ele retirou. "Essa foi uma declaração que eu obviamente não deveria ter feito", declarou Cain depois à TV CNBC.

A única pergunta sobre as acusações de assédio partiu do moderador e foi vaiada pela plateia. Romney foi aplaudido quando se recusou a responder se contrataria um executivo que enfrentasse acusações semelhantes. "Veja, Herman Cain é a pessoa para responder a essas perguntas. Ele acaba de responder", disse Romney. "As pessoas neste recinto e em todo o país podem fazer sua própria avaliação."

Mas o momento mais memorável do debate foi protagonizado pelo governador do Texas, Rick Perry, que vem despencando nas pesquisas após ter se saído mal em debates anteriores.

Perry disse a certa altura que pretendia fechar três ministérios. Citou então os de Educação e Comércio, mas teve um "branco" no terceiro. Seus rivais ainda tentaram ajudá-lo, mas não adiantou. Ele pediu desculpas, e o debate prosseguiu. Só depois Perry conseguiu se lembrar do terceiro órgão a ser fechado - o Departamento de Energia.

"É, foi constrangedor, claro que foi", disse Perry a jornalistas após o debate. "Mas as pessoas entendem que os nossos princípios conservadores são o que importa."

Em geral, os temas econômicos dominaram o debate, e vários republicanos criticaram a ajuda financeira do governo a diversos setores.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAREPUBLICANOSDEBATE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.