Caixa-preta confirma colisão de avião do Hudson com aves

Piloto narra momento do pouso e diz que não teve opção, pois avião estava próximo dos prédios

Agências internacionais,

19 de janeiro de 2009 | 11h39

As caixas-pretas recuperadas do avião da US Airways que fez um pouso forçado no rio Hudson, em Nova York, na semana passada, comprovaram que o equipamento perdeu potência nas duas turbinas simultaneamente. Os registros ainda mostram que o piloto, considerado herói por ter evitado o que ele chamou de um acidente catastrófico numa área populosa, alertou que teria atingido uma revoada de pássaros logo após a decolagem do aeroporto de La Guardia.   Veja também: Galeria de fotos do resgate dos passageiros    O piloto Chesley "Sully" Sullenberger, que salvou 155 pessoas ao aterrissar no rio Hudson, afirmou que o avião não poderia retornar para o aeroporto ou tentar pousar na pista de Teterboro, localizada na região do outro lado do rio. "Não podemos fazer isso", disse Sullenberger aos controladores aéreos. "Vai ser no rio Hudson", afirmou. Ele disse aos investigadores que teve poucos minutos para decidir onde aterrissar o avião, e que sentiu que a aeronave estava "muito baixa, muito lenta", e próxima demais dos prédios para ir além do rio, segundo seu testemunho Junta Nacional de Segurança no Transporte   Em Washington, o porta-voz da Junta Peter Knudson afirmou que as indicações preliminares dos registros do radar durante a decolagem não mostram quaisquer alvos que seriam pássaros, mas ressaltou que os investigadores continuarão procurando por pistas. Em depoimento, o co-piloto Jeffrey Skiles, que conduzia a decolagem, notou as aves quando avião estava entre mil e 1,5 mil metros de altitude. "Ele comentou com o piloto Chesley Sullenberger sobre as aves e segundos depois o pára-brisas ficou cheio de pássaros", disse Kitty Higgings, uma das representantes da Junta. "Não houve tempo para uma evasão", acrescentou.   Sullenberger, que não fez aparições públicas desde o acidente por orientação dos investigadores, foi convidado para participar da posse do presidente eleito, Barack Obama, na terça-feira, segundo afirmou o prefeito de sua cidade Danville, Califórnia. Um dos assessores de Obama confirmou que a família do piloto teria sido convidada, mas que os detalhes ainda estão sendo acertados.

Tudo o que sabemos sobre:
acidente aéreoNova York

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.