Campanha de Obama tenta mostrar que ele segue com chances

A campanha do pré-candidatodemocrata à Presidência dos EUA Barack Obama procurou nasegunda-feira tranquilizar seus apoiadores e mostrar que elecontinua sendo um nome forte, pouco importando neste estágio afolgada liderança de Hillary Clinton nas pesquisas. Em memorando aos simpatizantes, o gerente da campanha,David Plouffe, disse que o senador Obama, vai muito bem nosEstados que votam primeiro, como Iowa, New Hampshire e Carolinado Sul. Várias pesquisas nacionais nas últimas duas semanas dão àsenadora Hillary uma larga vantagem. No levantamento daNewsweek, sua liderança nas primárias democratas subiu de 16pontos percentuais em junho para 23. "Enquanto os que estão focados nos bastidores de Washingtonse concentram em pesquisas nacionais irrelevantes e amplamenteinconsistentes, há fortes sinais em Iowa, New Hampshire eCarolina do Sul da crescente força e do potencial da suacandidatura", escreveu Plouffe. Na semana passada, uma pesquisa ABC News/Washington Postmostrou Hillary, Obama e o ex-senador John Edwards virtualmenteempatados em Iowa. Outra pesquisa recente, do American Research Group, em NewHampshire, apontou Hillary e Obama à frente, com 31 por centocada. Na Carolina do Sul, a mesma pesquisa dava quatro pontospercentuais de vantagem de Obama sobre a ex-primeira-dama. "Lembrem-se: cada disputa afeta a seguinte", disse Plouffe."Nossa estratégia sempre foi focar como um laser nos primeirosEstados, para criar o impulso crucial para as disputasseguintes." Plouffe citou também a capacidade arrecadatória do seucandidato, mais de 258 mil doadores até agora, como sinal deforça. Ele angariou cerca de 5 milhões de dólares a mais do queHillary no segundo trimestre, disse o coordenador. Já a campanha de Hillary trata a candidatura dela como algoinevitável. Seu principal estrategista, Mark Penn, divulgou ummemorando dizendo que os democratas buscam alguém que possaenfrentar os republicanos em novembro de 2008. "Eles sabem queela sabe como ganhar, e isso se reflete em pesquisa apóspesquisa que diz que Hillary é a candidata com mais chances deganhar em novembro", escreveu. (Reportagem de Steve Holland)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.