Campanha pela legalização da maconha nos EUA elabora estratégia

Após a legalização da maconha ter atingido o ponto alto em 2012 com vitórias nos estados norte-americanos de Washington e Colorado, a campanha elabora estratégia para as próximas batalhas.

ALEX DOBUZINSKIS, Reuters

30 de dezembro de 2012 | 13h57

O foco recai sobre possíveis medidas eleitorais em 2014 ou em 2016 em estados como a Califórnia e o Oregon, entre os primeiros no país a permitir a maconha para uso médico. Apesar de esses Estados terem rejeitado recentemente uma ampla legalização, grupos favoráveis à reforma do marco legal das drogas permanecem implacáveis.

"A legalização está mais ou menos repetindo a história da maconha medicinal", disse Ethan Nadelmann, diretor-executivo da Drug Policy Alliance. "Se você quer saber quais estados têm mais probabilidade de legalizar a maconha, olhe para os que primeiro legalizaram a maconha medicinal".

O braço político da Alliance gastou mais de 1,6 milhão de dólares no financiamento da campanha no estado de Washington.

O Colorado e o estado de Washington permitem posse pessoal da droga para as pessoas com 21 anos ou mais. Esse mesmo grupo de idade poderá comprar a droga em lojas de maconha especiais sob as regras a serem estabelecidas no próximo ano.

Nenhum outro estado dos EUA legalizaram a maconha, droga ilícita mais usada da América, para uso recreativo. A droga é ilegal sob a lei federal. Connecticut e Massachusetts também aprovaram a maconha medicinal em 2012.

Mais conteúdo sobre:
EUACAMPANHAMACONHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.