Candidatos democratas cobram pressa na desocupação do Iraque

Os pré-candidatos democratas àPresidência dos Estados Unidos buscaram na quarta-feira seaproveitar do debate sobre a guerra do Iraque. Barack Obamadefendeu que as tropas de combate sejam retiradas até o fim de2008, enquanto Hillary Clinton pediu à Casa Branca que acelerea desocupação. Na véspera de um discurso do presidente George W. Bushsobre o Iraque, adversários de Obama e Hillary na disputainterna criticaram as propostas dos favoritos. Em Iowa, primeiro Estado a definir a disputa interna dospartidos, dentro de cerca de quatro meses, Obama enfatizou quefoi contra a guerra desde o princípio e propôs que uma ou duasbrigadas sejam retiradas por mês, de modo que até o final de2008 não restem tropas de combate no Iraque. "Estou aqui para dizer que temos de começar a acabar estaguerra agora", disse Obama, que cumpre o primeiro mandato desenador por Illinois. Ele não especificou quantos soldadospermaneceriam no Iraque. "Não há solução militar no Iraque enunca houve", afirmou. Seus adversários John Edwards e Chris Dodd criticaram aproposta de Obama, questionando a falta de um cronograma rígidopara a retirada de todos os soldados, não só os que estão emfunções de combate. "Já basta. Não precisamos 'começar' a acabar a guerraagora. O que precisamos agora é mesmo acabar a guerra", disseEdwards, que repetiu seu apelo para que o Congresso rejeiteverbas para a guerra se elas não estiverem vinculadas a umcronograma para a retirada. Em depoimento nesta semana ao Congresso, o comandantemilitar dos EUA no Iraque, general David Petraeus, disse que,mantidas as atuais condições, os EUA poderão retirar 30 milsoldados até meados de 2008. Bush deve dar aval a tal propostana quinta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.