Capelão americano é acusado de pagar por sexo com prisioneiro

Sacerdote Frank DeTucci, de 70 anos, era padre em uma prisão no condado de Queens, e teria pago até US$ 150 ao prisioneiro para que este fizesse sexo oral nele

Efe,

12 de julho de 2011 | 02h49

NOVA YORK - Um capelão do Departamento de Correção da cidade de Nova York foi detido após ser acusado de pagar a um preso para ter sexo com ele em duas ocasiões, informou na segunda-feira, 11, a imprensa americana.

 

O sacerdote Frank DeTucci, de 70 anos, que era o capelão de uma prisão no condado de Queens, supostamente pagou US$ 120 e US$ 150 ao prisioneiro para que este fizesse sexo oral nele, assinala a edição digital do diário New York Post.

 

De acordo com o jornal, as relações teriam ocorrido no escritório do capelão no Centro Correcional Queensboro, em Long Island City, no condado de Queens, onde havia mínima segurança.

O último encontro sexual teria acontecido em 5 de julho, indica o rotativo.

 

O sacerdote, que foi contratado como capelão em 1992 e tinha vencimentos de US$ 79.819 por ano, foi detido no domingo. Após a apresentação das acusações de ato sexual criminoso e outros delitos, DeTucci foi suspenso de seu posto de trabalho sem direito a salário.

Tudo o que sabemos sobre:
Queenscapelãoprisãoprisioneiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.