Carter deixa Coreia do Norte com norte-americano libertado

O Departamento de Estado dos EUA recebeu bem a libertação do norte-americano que havia sido preso na Coreia do Norte e agradeceu ao ex-presidente Jimmy Carter por trazê-lo de volta para casa.

REUTERS

27 de agosto de 2010 | 08h28

"Nós recebemos positivamente a libertação de Aijalon Mahli Gomes e estamos aliviados porque ele logo estará seguro e novamente com sua família", disse o porta-voz do Departamento de Estado, Philip Crowley, em comunicado.

"Somos gratos pelos esforços humanitários do ex-presidente Carter e acolhemos a decisão da Coreia do Norte de conceder ao sr. Gomes anistia especial, permitindo que ele retorne aos Estados Unidos", disse Crowley.

Gomes foi preso em janeiro e sentenciado a oito anos de trabalho forçado depois de ser condenado por entrar ilegalmente no país. O ex-presidente dos EUA deixou a capital norte-coreana, Pyongyang, com Gomes na manhã de sexta-feira rumo a Boston, segundo o Centro Carter em comunicado.

O porta-voz do Departamento de Estado disse que a viagem de Carter era uma missão particular, humanitária e não-oficial.

"O ex-presidente viajou a convite do governo da República Democrática Popular da Coreia (do Norte). O governo norte-americano não propôs nem organizou a viagem", disse Crowley.

Crowley acrescentou que o Departamento de Estado "concordou" com a decisão de aceitar o convite da Coreia do Norte, porque a saúde de Gomes estaria correndo sérios riscos se não recebesse tratamento imediato nos Estados Unidos.

(Reportagem de JoAnne Allen)

Tudo o que sabemos sobre:
EUACOREIANLIBERTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.