Pablo Martinez Monsivais/AP
Pablo Martinez Monsivais/AP

Casa Branca acusa Irã de blefar sobre sua capacidade nuclear

Em discurso no aniversário da Revolução islâmica, Ahamadinejad diz que seu país se tornou um 'Estado nuclear'

Reuters,

11 de fevereiro de 2010 | 16h41

A Casa Branca acusou o Irã de estar blefando sobre sua capacidade nuclear e afirmou que as declarações dadas hoje pelo presidente Mahmoud Ahmadinejad são baseadas em "política, e não na física", disse o porta-voz Robert Gibbs.

 

Mais sobre o impasse:

linkIrã é um Estado nuclear, diz Ahmadinejad

 

Ainda de acordo com Gibbs, empresas de internet, entre elas o Google, reportaram que foram 'desconectadas' durante o aniversário de 31 anos da revolução islâmica, marcado por protestos a favor e contra o governo de Ahmadinejad.

 

Em Bruxelas, na Bélgica, O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, disse que a paciência do Ocidente com o Irã e suas ambições nucleares está acabando e não vai durar para sempre. Em um encontro de líderes da União Europeia (UE) em Londres, o premiê disse que as escolhas de Teerã são claras.

 

"O Irã pode buscar um programa nuclear civil, respeitar os direitos humanos e ganhar confiança e respeito da comunidade internacional, ou prosseguir com seu programa de armas nucleares, maltratar os direitos humanos e se isolar no lado errado da história", disse o líder britânico.

 

A chefe da diplomacia da UE, Catherine Ashton, também criticou a atuação iraniana no campo dos direitos humanos. Mais cedo, a polícia local prendeu cerca de 30 ativistas da oposição, entre eles familiares de líderes reformistas. O regime dos aiatolás também censurou e-mails e proibiu a imprensa estrangeira de cobrir as manifestações.

 

"No aniversário da revolução islâmica, que para muitos no Irã deveria simbolizar o progresso em liberdades e direitos fundamentais, milhares de iranianos foram privados de expressar suas opiniões", disse Ashton em comunicado.

VEJA TAMBÉM:
especialEspecial: O programa nuclear do Irã
especialCronologia: O histórico de tensões
blog Gustavo Chacra: as saídas para o Irã
video TV Estadão: os riscos dos programa 

 

'Estado nuclear'

 

Em discurso durante a celebração do 31º aniversário da Revolução Islâmica na praça de Azadi, Ahmadinejad disse que o país tem a capacidade de enriquecer urânio a mais de 20%, ou a 80%, mas que isto não interessa ao país.

 

"Quando dizemos que não produziremos a bomba, estamos falando sério. Não acreditamos na produção de armas atômicas", disse Ahmadinejad. "Se quiséssemos, já teríamos anunciado isto".

 

O presidente confirmou também que o primeiro lote de urânio enriquecido a 20%, processo iniciado na terça-feira, já está pronto. "O enriquecimento começou na terça passada e os cientistas já conseguiram produzir o primeiro pacote de urânio enriquecido a 20%", disse. Segundo o governo iraniano, este material será usado para o tratamento de câncer. 

Tudo o que sabemos sobre:
Irãimpasse nuclearCasa Branca

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.