Casa Branca aprovou tortura pela CIA, diz 'Washington Post'

Governo Bush autorizou métodos para interrogatórios da CIA de suspeitos de terrorismo, afirma jornal

Efe,

15 de outubro de 2008 | 16h48

O governo do presidente George W. Bush aprovou, por escrito, o uso de métodos de tortura em interrogatórios a supostos terroristas por parte da Agência Central de Inteligência (CIA), afirmou nesta quarta-feira, 15, reportagem do jornal The Washington Post. Segundo a matéria, que cita ex-funcionários dos serviços de inteligência como fontes de informação, a CIA solicitou e obteve em 2003 e 2004 documentos da Casa Branca sobre "métodos de interrogatório." Entre esses métodos se conta o "submarino" ou simulacro de asfixia por imersão, no qual o detido é submerso em água ou tem água jogada no nariz e a boca até sentir que está a ponto de morrer. "Os advogados do Departamento de Justiça já haviam aprovado em 2002 os métodos de interrogatório da CIA", indicou o Post. "Mas preocupava a alguns funcionários de alta hierarquia na CIA que os responsáveis maiores na Casa Branca jamais tinham aprovado o programa por escrito", acrescentou. A secretária de Estado, Condoleezza Rice, então conselheira de Segurança Nacional do presidente Bush, confirmou no mês passado a investigadores do Congresso que o então diretor da CIA, George Tenet, pedira "uma aprovação de políticas" por escrito à Casa Branca. "Os reiterados pedidos de uma aprovação documentada refletiam a preocupação crescente dentro da CIA de que a Administração pudesse, mais adiante, se distanciar das decisões sobre o manejo dos chefes da Al-Qaeda capturados", escreveu o Post.  "Essas preocupações fizeram-se mais notórias depois das revelações de maus-tratos de detidos na prisão iraquiana de Abu Ghraib", acrescentou. A Casa Branca não confirmou a informação, segundo o jornal.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.