Casa Branca estuda controle mais abrangente sobre armas

Um grupo de trabalho tem considerado seriamente medidas que poderiam exigir uma verificação de antecedentes para compradores de armas e rastrear o movimento e vendas

Reuters

06 de janeiro de 2013 | 16h24

A Casa Branca está se focando muito mais em uma abordagem ampla para restringir a violência com armas nos Estados Unidos do que em simplesmente reestabelecer a proibição de armas de assalto e de alta capacidade, informou o Washington Post neste domingo, 6.

 

Um grupo de trabalho liderado pelo vice-presidente Joseph Biden tem considerado seriamente medidas que poderiam exigir uma verificação de antecedentes para compradores de armas e rastrear o movimento e vendas de armas por meio de um banco de dados nacional, afirmou o jornal.

 

As medidas incluiriam um reforço aos controles de saúde mental e um endurecimento das penalidades para quem portar armas perto de escolas ou emprestá-las a menores de idade, disse o Post.

 

O presidente Barack Obama designou Biden para o trabalho de desenhar a estratégia após o massacre na cidade de Newtown, em Connecticut, onde 20 crianças e seis adultos foram mortos em uma escola primária no mês passado.

 

(Reportagem de Ian Simpson e Roberta Rampton)

Tudo o que sabemos sobre:
EUACASABRANCAARMAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.