AP
AP

Casa Branca responde com ironia ataques de Cheney a Obama

Porta-voz afirma que é melhor que os americanos ignorem os conselhos do ex-vice-presidente da era Bush

Efe,

17 de março de 2009 | 07h57

O porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, respondeu na segunda-feira, 16, ironicamente ao ex-vice-presidente dos Estados Unidos Dick Cheney, que criticou a situação econômica e o fechamento do centro de detenção de Guantánamo. Em entrevista, Gibbs disse que "o melhor" seria que os americanos ignorassem os conselhos de Cheney sobre a economia. "Acho que não consultar Cheney sobre a economia é, talvez, a melhor lição", acrescentou.

 

Gibbs também comparou o ex-vice-presidente com o comentarista ultraconservador Rush Limbaugh, considerado por muitos democratas um porta-voz virtual do Partido Republicano. "Suponho que Rush Limbaugh estivesse muito ocupado e, por isso, usaram o segundo republicano mais popular", ironizou Gibbs. "Espero que meus sarcasmos não escondam a seriedade das minhas respostas", destacou o porta-voz.

 

Em entrevista à emissora de televisão CNN" Cheney criticou a decisão do presidente Barack Obama de fechar dentro de um ano o centro de detenção de Guantánamo. O ex-vice-presidente assegurou que as políticas adotadas durante o governo do presidente republicano George W. Bush são "absolutamente essenciais" para proteger o país de um novo ataque terrorista como o de 11 de setembro de 2001. Obama agora está tomando decisões que, "em minha opinião, aumentarão o risco de outro ataque para o povo dos Estados Unidos", ressaltou Cheney.

 

Talk show contra a crise

 

Obama tenta promover sua mensagem sobre a economia a todos os americanos, e para isso participará na quinta-feira do programa "The Tonight Show with Jay Leno", um dos mais famosos do país. A notícia de que Obama participará do "talk show" foi confirmada pela Casa Branca e, como é gravado em Los Angeles, acontecerá durante um giro do presidente pela Califórnia para promover suas propostas econômicas.

 

Segundo a Casa Branca, a participação do governante será "tão divertida como é possível ser, dadas as circunstâncias econômicas do país, imerso em uma crise". A participação de Obama no programa é insólita entre os presidentes americanos. Geralmente, os governantes participam de "talk shows" durante as campanhas eleitorais, mas nunca após chegar à Presidência.

Tudo o que sabemos sobre:
EUABarack ObamaDick Cheney

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.