Reuters
Reuters

Caso do menino do balão nos EUA foi montagem, diz polícia

Xerife afirma que família de Falcon queria publicidade para promover um programa de TV que queria vender

Efe,

18 de outubro de 2009 | 16h15

Depois do interrogatório com Richard e Mayumi Heene, pais do menino Falcon - que supostamente estava em um balão que decolou da casa da família, mas estava em um sótão da residência -, a Polícia concluiu que o episódio foi "uma tentativa de buscar publicidade" por parte da família.

 

Veja também:

link Após gerar comoção, garoto do balão é encontrado na garagem

link Pai de menino do balão nega que drama tenha sido forjado

link Polícia apresentará acusações no caso do 'menino do balão'

 

Os Heene pretendiam promover um programa de televisão para vendê-lo a alguma emissora, disse o xerife James Alderden, do condado de Larimer, no Colorado. Por enquanto, a Polícia vai apresentar acusações contra os pais por conspiração, tentativa de delinquir um menor e por tentar enganar às forças da ordem, explicou Alderden.

 

Além disso, ao longo da próxima semana, o assunto poderá ser discutido com representantes do FBI (Polícia Federal americana) e da Autoridade Federal de Aviação (FAA), para determinar se outras acusações devem ser apresentadas.

 

A Polícia também cogitou a possibilidade de apresentar uma acusação de alteração do funcionamento do transporte público, já que o incidente forçou a suspensão temporária das operações no aeroporto internacional de Denver, mas finalmente chegou à de conclusão que não tinha elementos suficientes para sustentar a acusação.

 

Segundo Alderden, inicialmente a Polícia acreditou que a família agia de boa fé, já que parecia difícil crer que pudessem fingir as emoções ou a linguagem não verbal que exibiram durante o incidente. "Mas depois descobrimos que eles são atores. Na verdade, os pais se conheceram em uma escola de arte dramática. Fizeram uma boa representação e nos a engolimos", afirmou.

 

O caso ficou mundialmente famoso na quinta-feira passada, quando foi divulgada a notícia de que os serviços de emergência perseguiam um gigantesco balão de hélio porque o menino Falcon poderia estar dentro.

 

Após uma frenética perseguição ao longo de mais de 100 quilômetros pelo norte do Colorado, acompanhada ao vivo pela imprensa de todo o mundo, o balão perdeu ar e caiu, sem que fossem encontrados rastros da criança em seu interior.

Tudo o que sabemos sobre:
menino do balãoEUAColorado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.