Cerca de 70% dos incêndios em Malibu são controlados

Clima ajuda no combate ao fogo que destruiu dezenas de casas e desalojou mais de 14 mil pessoas

Agências internacionais,

26 de novembro de 2007 | 11h48

Condições favoráveis do tempo ajudaram bombeiros americanos a alcançar progressos no combate aos incêndios florestais em Malibu, no Estado americano da Califórnia, que destruíram centenas de casas e forçou a remoção de cerca de 14 mil pessoas. Cerca de 70% do fogo já foi contido depois que devastou uma área de mais de 1.900 hectares. Oficiais esperam conter o incêndio ainda nesta segunda-feira, 26.   O fogo começou na madrugada de sábado e se alastrou rapidamente devido aos fortes ventos de "Santa Ana" que neste domingo sopravam em Malibu, região na qual residem muitos astros de Hollywood. Os ventos mais frios da costa do Pacífico diminuiu as temperaturas, enquanto 30 aviões tentavam apagar o incêndio despejando água nas áreas mais afetadas.   Os investigadores concluíram que o incêndio foi causado por uma pessoa, mas ainda não sabem se foi criminoso.  No mês passado, incêndios florestais no Estado da Califórnia deixaram pelo menos 14 mortos e forçaram 640 mil pessoas a abandonarem as suas casas.   Moradores voltaram para região no domingo para checar se suas casas haviam sido atingidas pelas chamas. Muitas residências na região do Corral Canyon Road foram destruídas. Flea, o baixista da banda Red Hot Chili Peppers, disse ao jornal Los Angeles Times que sua casa tinha sido atingida pelas chamas.   O governador Arnold Schwarzenegger examinou os danos causados e consolou uma das vítimas, que retornou de viagem e encontrou sua casa destruída. "Nós vamos ajudar", disse.   Malibu, uma região na qual as casas estão situadas em estreitos e profundos cânions em uma faixa litorânea de 44 quilômetros na zona sul das montanhas de Santa Mônica, tende a sofrer com os ventos de "Santa Ana". Em 1993, os ventos alimentaram um incêndio que destruiu 388 prédios e provocou a morte de três pessoas.

Tudo o que sabemos sobre:
Califórniaincêndios

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.