Chefe da ONU mostra preocupação com situação da Geórgia

Ban Ki-moon, secretário-geral daOrganização das Nações Unidas (ONU), afirmou estar preocupadocom a situação humanitária e a violência nas áreas da Geórgiaatingidas pela guerra. Ban disse ainda se inquietar com o fato de membros degrupos de ajuda estarem tendo dificuldade para ingressarnaquelas áreas. Eu estou "extremamente preocupado com o impacto humanitáriodo conflito recente sobre a população civil da Geórgia, queregistrou mortos e feridos, além de danos significativos aconstruções e a obras de infra-estrutura", afirmou Ban em umcomunicado divulgado por meio do gabinete de sua porta-voz. O secretário-geral afirmou ainda que a guerra deixou umvolume significativo de pessoas desabrigadas. Ban conclamou "todos os lados a controlarem as forças sobseu comando a fim de garantir que cesse o atual estado deausência das leis." "Grandes partes da área afetada pelo conflito, em especiala Ossétia do Sul e a região de Gori, continuam quaseinacessíveis a organizações humanitárias devido à falta desegurança, à ausência de leis e a outros problemas", disse. Farhan Haq, porta-voz da ONU, afirmou a repórteres que Banhavia falado, por telefone, com o presidente georgiano, MikheilSaakashvili, na quinta-feira, mas não forneceu detalhes sobre aconversa. Segundo Haq, homens em uniformes militares semidentificação haviam confiscado dois veículos da ONU em Gori. A guerra entre a Rússia e a Geórgia iniciou-se na semanapassada depois de soldados georgianos terem ingressado naOssétia do Sul a fim de restabelecer o controle do governocentral sobre esse território. A ação levou o governo russo aenviar seus soldados para dentro da ex-República soviética. Ban recebeu com satisfação o acordo de cessar-fogo firmadopelos governos dos dois países. No entanto, mostrou-sepreocupado com "os relatos sobre persistirem alguns episódiosde violência nos quais os civis seriam as principais vítimas". "Além disso, como continua a existir muita tensão na área,é essencial que medidas sejam tomadas para proteger os gruposminoritários de toda a Geórgia", afirmou o secretário-geral. Ban pediu que todos os envolvidos no conflito cumpram asobrigações previstas nas leis internacionais humanitárias e dosdireitos humanos. O diplomata de um dos países ocidentais que integramatualmente o Conselho de Segurança da ONU disse à Reuters queuma delegação francesa trabalhava com afinco em cima de umprojeto de resolução que pediria o envio de forças de pazinternacionais para a Geórgia a fim de monitorar a trégua. Segundo esse diplomata, um dos pontos complicados da tarefaera tratar da integridade territorial da Geórgia de forma asatisfazer os georgianos e os russos. (Reportagem de Louis Charbonneau)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.