Chefe de campanha de Obama já vê fim de batalha por indicação

O chefe de campanha do democrataBarack Obama previu neste domingo que a longa batalha contraHillary Clinton pela indicação do partido está perto do fim."Nós estamos no final do processo", disse. Entrevistado na "Fox News Sunday", David Axelrod afirmouque superdelegados indecisos que decidirão a indicação estãooptando por Obama, o senador de Illinois que pode se tornar oprimeiro presidente norte-americano negro nas eleições denovembro."Você verá pessoas (superdelegados) tomando decisões rápidas apartir deste ponto", disse ele. "Nós estamos anunciandodiversos todos dias nos últimos dias. Nós iremos continuarexpandindo esses apoios". O conselheiro sênior de Hillary, Howard Wolfson, falando nomesmo programa, rejeitou a idéia de que a campanha já tenhaacabado e previu vitória nas próximas prévias em West Virginiana terça-feira. "Se Barack Obama quer Hillary Clinton fora da corrida, queganhe dela. Ganhe dela em West Virginia, ganhe dela em PortoRico, ganhe dela no Kentucky", disse ele, referindo-se a trêsdos seis últimos obstáculos para a indicação, todos a favor deHillary. Mas ele afirmou que se Obama, de 46 anos, ganhar aindicação, a senadora de Nova York irá dar todo o seu suporte erecursos contra o indicado republicano John MacCain. Desde de sua vitória decisiva nas primárias da Carolina doNorte na última semana, Obama tem cada vez mais se focado nasua batalha que ainda está por vir contra McCain, testandotemas que ele espera usar em sua campanha. Em entrevista para a CNN realizada na semana passada eapresentada neste domingo, Obama deixou claro que irá ligarMcCain a seu companheiro republicano impopular o presidenteGeorge W. Bush. "Imagine o que eu irei enfrentar, as políticas fracassadasda administração Bush as quais McCain quer dar continuidade",disse Obama. Mesmo se a senadora vencer nas próximas disputas, Clinton,de 60 anos, não conseguirá superar Obama em número de delegadospara a convenção do partido Democrata em agosto. Os delegadostêm sido alocados proporcionalmente nas batalhas estaduais quecomeçaram em janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.