Chefe do Estado-Maior do EUA liga para pastor sobre vídeo

O general Martin Dempsey, chefe do Estado-Maior dos Estados Unidos, falou com o pastor Terry Jones por telefone, nesta quarta-feira, e pediu que ele retire seu apoio ao vídeo que retrata o profeta Maomé e motivou protestos violentos, incluindo um ataque que matou o embaixador dos EUA na Líbia.

Reuters

12 de setembro de 2012 | 16h47

"No breve telefonema, o general Dempsey expressou sua preocupação com a natureza do filme, as tensões que isso vai inflamar e a violência que vai causar", disse à Reuters o coronel Dave Lapan, porta-voz de Dempsey.

"Ele pediu ao sr. Jones que considere retirar seu apoio ao filme", acrescentou.

Autoridades militares dos EUA estão preocupadas que o vídeo possa inflamar os sentimentos anti-americanos no Afeganistão, onde 74 mil soldados norte-americanos estão em combate.

Nesta quarta-feira, o Taliban pediu aos afegãos que se preparem para um combate contra os norte-americanos e exortou os insurgentes a buscarem "vingança" pelo vídeo.

(Reportagem de Phil Stewart e David Adams)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAVIDEOMILITARPASTOR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.