Chefe militar dos EUA diz estar preocupado com revoltas na Líbia

Uma autoridade militar de alto escalão dos Estados Unidos disse nesta terça-feira estar preocupado com as mortes na Líbia, afirmando que mudanças seriam necessárias para que houvesse uma resolução pacífica no país africano .

REUTERS

22 de fevereiro de 2011 | 11h24

"Obviamente existe uma grande preocupação com o que está ocorrendo na Líbia, as mortes lá, especificamente", disse à Reuters o almirante Mike Mullen, líder do Comando Conjunto do Estado-Maior das forças dos EUA, falando na capital dos Emirados Árabes Unidos.

"E todos concordamos que este é um momento de profundas mudanças e precisa ser resolvido de forma pacífica, sem mortes", acrescentou.

Mullen chegou à região do Golfo no domingo para uma visita de uma semana para reforçar os laços estratégicos com os aliados dos EUA, ameaçados pelos protestos que se espalham pelo mundo árabe.

(Reportagem de Mahmoud Habboush)

Tudo o que sabemos sobre:
EUALIBIAMILITAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.