Cheney critica a Rússia em visita à Itália

Vice-presidente dos EUA acusou o país de violar os princípios internacionais e de usar energia para manipular

EFE,

06 de setembro de 2008 | 17h33

Durante sua visita à Itália neste sábado, o vice-presidente dos Estados Unidos, Dick Cheney, lançou um duro ataque contra o governo russo, que foi acusado pelo americano de violar os princípios internacionais e de usar energia como método de "manipulação". Em discurso no fórum socioeconômico anual de Ambrosetti, o vice-presidente dos EUA afirmou que no mês passado a Rússia fez "uma invasão militar violenta, sem nenhuma justificativa, contra a democracia". Segundo Cheney, a ação "minou gravemente as relações da Rússia com os EUA e com o resto de países europeus". "Na Geórgia, a Rússia efetuou uma invasão, suas forças militares superaram as fronteiras de um Estado independente e fomentaram um conflito interno no qual morreram civis de uma nação democrática", assegurou. Cheney lembrou que a "Rússia não deu ainda nenhuma justificativa aceitável" para suas ações, que foram "as últimas de uma série de atos provocadores e inúteis" russos. O vice-presidente chegou neste sábado à Itália, em meio a uma viagem que já o levou ao Azerbaijão, Geórgia e Ucrânia. Antes de discursar, Cheney se reuniu com o presidente israelense, Shimon Peres, com quem abordou a situação no Oriente Médio e o atual conflito entre Geórgia e Rússia.

Tudo o que sabemos sobre:
Dick CheneyEUARússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.