Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Chris Wattie/Reuters
Chris Wattie/Reuters

'China pode ajudar a resolver impasse com o Teerã', diz Hillary

Para secretária, Irã nuclearmente armado não é aceitável para a comunidade internacional

29 de março de 2010 | 20h12

Reuters

 

OTTAWA- A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, afirmou que o mundo não pode aceitar um Irã nuclear e que a China pode ajudar a resolver o impasse com Teerã.

 

Veja também:

linkMinistros do G-8 condenam atentados a bomba no metrô de Moscou

 

A declaração foi feita em uma reunião com ministros de Relações Exteriores do G-8 que acontece nesta segunda-feira, 29, em Ottawa, no Canadá.

 

Hillary tentou minimizar temores de que a China não está alinhada com a posição dos outros membros do Conselho de Segurança da ONU em impor um quarto round de sanções ao Irã.

 

"Na verdade, a China é parte do grupo de conselho que foi unificado durante todo o caminho, e que deixou bem claro que um Irã nuclearmente armado não é aceitável para a comunidade internacional", disse a secretária em entrevista ao canal CTV.

 

"Eu acredito, conforme as semanas forem passando e nós começarmos o difícil trabalho de decidir uma resolução do Conselho da ONU, que a China se envolverá. Eles farão suas sugestões", afirmou.

 

"Como em qualquer esforço, nós vamos ter de tentar chegar a algum consenso e estamos no meio desse processo", acrescentou.

 

 

O encontro no Canadá reúne os chanceleres dos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, frança, Japão, Alemanha, Itália e Rússia. Os três membros ocidentais do G-8 têm pressionado por uma nova rodada de restrições a Teerã devido ao programa nuclear do país, que é suspeito de estar produzindo armas.

 

A Rússia, embora com menos ênfase, sinalizou recentemente que pode concordar com as novas penalidades à República Islâmica.

 

A China, que têm laços econômicos com o Irã, afirmou várias vezes que o mundo precisa de mais tempo para encontrar uma solução diplomática para o impasse nuclear do Irã, o qual Teerã insiste que é pacífico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.