Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

CIA omitiu vídeos da Al Qaeda de comissão do 11/9, diz jornal

A comissão que investigou o 11 deSetembro pediu à CIA em 2003 e 2004 informações sobreinterrogatórios de pessoas suspeitas de pertencerem à Al Qaeda,e o serviço secreto norte-americano respondeu já terdisponibilizado tudo o que havia sido pedido, informou o jornalThe New York Times neste sábado. A CIA afirmou, no entanto, no dia 6 deste mês ter destruídoem 2005 horas de filmagens de interrogatórios de Abu Zubaydah eAbd al-Rahim al-Nashiri, suspeitos de integrarem a Al Qaeda. Oanúncio levou antigos integrantes da comissão a reverdocumentos confidenciais da investigação. Os vídeos destruídos, acredita-se, mostram técnicas deinterrogatório que simulam afogamento, o que ativistas dedireitos humanos condenam como tortura. Os responsáveis pela comissão de 11 de Setembro, LeeHamilton e Thomas Kean, afirmaram que a reavaliação dosdocumentos, obtida pelo jornal norte-americano, os convenceuque a CIA tomou uma decisão consciente de impedir o trabalho dopainel. Um memorando preparado por Philip Zelikow, oex-diretor-executivo da comissão, conclui que "maisinvestigação é necessária" para determinar se o fato de a CIAnão disponibilizar os filmes violou a lei, relatou o jornal. A CIA alegou que destruiu as fitas de acordo comprocedimentos legais, com o objetivo de proteger os agentesenvolvidos nos interrogatórios. No entanto, as novas notíciasresultaram em protestos de ativistas de direitos humanos eparlamentares democratas e em investigações pela Casa Branca epelo Congresso. A comissão dos atentados de 11 de Setembro investigou o quedeu errado antes e depois do ataque da Al Qaeda em 2001. Orelatório do painel defendeu mudanças nos procedimentos doserviço de inteligência. Thomas Kean, republicano e ex-governador de Nova Jersey,afirmou que a comissão daria a mensagem de Zelikow aprocuradores federais e legisladores, que investigam adestruição das fitas. Um porta-voz da CIA declarou ao Times que o serviço secretoestava pronto para dar as fitas à comissão, mas que os vídeosnunca foram requisitados. "Não sei se isso foi ilegal ou não, mas certamente foierrado", disse Kean sobre a decisão da CIA de não revelar aexistência das gravações. Lee Hamilton, democrata eex-parlamentar por Indiana, afirmou que a CIA "claramenteobstruiu" a investigação. O memorando não conclui se não disponibilizar os vídeos foiilegal ou não, mas nota que a legislação norte-americanapenaliza quem conscientemente encobre uma prova material de uminquérito federal, diz o Times. A CIA afirmou ao jornal que a agência fez tudo para atenderaos pedidos da comissão e que deu informações detalhadas sobreos interrogatórios. As fitas "não foram destruídas durante o período deatividade da comissão", disse o porta-voz da agência.

REUTERS

22 de dezembro de 2007 | 10h48

Tudo o que sabemos sobre:
EUAFITASCIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.