Citando conflitos, Obama renova sanções de 15 anos contra Sudão

O presidente dos EUA Barack Obama renovou as sanções aplicadas há 15 anos ao Sudão, reconhecendo que Cartum resolveu suas diferenças com o Sudão do Sul, mas alertando que Darfur e outros conflitos no país permanecem sérios obstáculos à normalização dos laços, afirmou o Departamento de Estado nesta sexta-feira.

Reuters

02 de novembro de 2012 | 15h48

O conflito em curso no sul do Kordofan, no Nilo Azul e em Darfour continuam a ameaçar a estabilidade regional, e os direitos humanos e crises humanitárias lá, incluindo a falta de ajuda humanitária, são muito graves, disse em comunicado o Departamento de Estado.

Obama assinou a ordem executiva na sexta-feira, que mantém vários conjuntos de sanções que foram impostas desde 1997 e que restringem comércio com os EUA e investimentos no país africano, além de bloquear bens do governo e de alguns funcionários do Sudão.

Centenas de milhares de pessoas fugiram de suas casas desde o início dos confrontos entre forças do governo e rebeldes do Movimento de Libertação Popular do Sudão-Norte se iniciou há mais de um ano.

(Por Paul Eckert)

Tudo o que sabemos sobre:
EUASANCOESSUDAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.