Comandante dos EUA alerta que Al Qaeda continua perigosa

O grupo de militantes islâmicos sunitasAl Qaeda continua sendo um inimigo perigoso para os EstadosUnidos no Iraque, apesar do declínio na violência, disse ocomandante das forças norte-americanas no país nestaquinta-feira, um dia após o pior atentado em Bagdá desdesetembro. "Precisamos ser cuidadosos para não nos sentirmosbem-sucedidos demais", disse o general David Petraeus ajornalistas, antes de se encontrar com o secretário de DefesaRobert Gates, que está em visita ao Iraque. "Vemos a Al Qaeda como um adversário perigosíssimo, aindacapaz de cometer ataques, e um adversário que precisamoscontinuar perseguindo", acrescentou Petraeus. Na quarta-feira, carros-bomba explodiram em quatro cidades,matando pelo menos 23 pessoas. Uma das bombas, nos arredores deuma mesquita xiita perto da "Zona Verde", no centro de Bagdá,deixou 15 mortos e 35 feridos -- pior incidente na capitaldesde setembro. Um grupo ligado à Al Qaeda havia ameaçado nesta semana pelaInternet realizar uma série de atentados com carros-bomba eoutros ataques contra as forças iraquianas de segurança. Petraeus previu tentativas de atentados grandiosos porparte da Al Qaeda. "Eles certamente já demonstraram suacontinuada capacidade de realizar ataques com carros-bomba,ataques com trajes suicidas, ataques com carros-bomba suicidase assim por diante", afirmou. Apesar das explosões de quarta-feira, a violência no Iraquevem caindo nos últimos meses. Gates saiu otimista das reuniõescom autoridades locais, dizendo que "mais do que nunca, a metade um Iraque seguro, estável e democrático está ao alcance." "Precisamos ser pacientes. Precisamos também estarabsolutamente resolutos em nosso desejo de ver os nascentessinais de esperança no Iraque se ampliarem e florescerem, paraque todos os iraquianos possam desfrutar da paz e daprosperidade", disse ele, menos de uma hora antes da explosãoem Bagdá. Mas Washington manifesta frustração com a demora noprocesso de reconciliação política entre a maioria xiita e aminoria árabe sunita. "Acho que às vezes eles estão um pouco mais lentos do quegostaríamos, nós somos impacientes, e isso é duro", disse osubsecretário de Estado, John Negroponte, à rádio pública dosEUA, depois de visitar o Iraque nesta semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.