Começam funerais de vítimas do atentado em Boston

Centenas de pessoas se aglomeraram do lado de fora de uma igreja nos arredores de Boston nesta segunda-feira para participar do primeiro de uma série de funerais para vítimas do atentado à Maratona de Boston.

ROSS KERBER, Reuters

22 de abril de 2013 | 14h50

O funeral de Krystle Campbell, de 29 anos, foi o primeiro desde o ataque de 15 de abril na linha de chegada da corrida, que matou três pessoas e feriu mais de 170.

Os suspeitos da explosão de duas bombas na maratona também podem ter sido os responsáveis pela morte a tiros de um guarda de segurança do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês), na quinta-feira à noite, antes de um tiroteio com a polícia e da caçada policial que paralisou grande parte da cidade de Boston e arredores.

Alguns que faziam parte da multidão do lado de fora da Igreja de São José, em Medford, disse que dirigiu até 160 km para assistir ao funeral, onde autoridades, incluindo o governador de Massachusetts, Deval Patrick, estavam presentes.

Enquanto esperava para a cerimônia, Renee Arsenault, uma cabeleireira de 28 anos de idade, disse que estudou na mesma escola que Campbell.

"Estou tão feliz que muitas pessoas apareceram em sua honra", disse Renee.

O carro fúnebre carregando o caixão de Campbell foi escoltado por cerca de 20 motos da polícia, e uma guarda de honra que estava na frente da igreja carregou o caixão para dentro da igreja.

A maratona atrai cerca de 27 mil corredores a cada ano e centenas de milhares de espectadores e é considerada um dos mais assistidos eventos esportivos de Boston.

A mãe de Renee, Leslie, lembrou da filha junto à linha de chegada, perto do local do atentado. "Minha filha estava exatamente onde a primeira bomba explodiu", disse Leslie Arsenault.

O funeral de Campbell foi o primeiro planejado para o dia. Patrick e o prefeito de Boston, Thomas Menino, pediram um minuto de silêncio às 15h50 (hora de Brasília), para marcar uma semana desde o ataque.

A Universidade de Boston marcou para as 20h (hora de Brasília) uma cerimônia para a estudante Lu Lingzi, que também morreu na explosão.

Os governadores de Estados próximos, incluindo Connecticut, New Hampshire e Maine, também disseram que iriam observar o minuto de silêncio.

Nenhum funeral público havia sido agendado até agora para a mais jovem vítima do atentado, Richard Martin, de 8 anos, ou para Sean Collier, policial do MIT que os dois suspeitos mataram a tiros na noite de quinta.

O suspeito Dzhokhar Tsarnaev, 19 anos, está sob custódia em um hospital de Boston, depois de ser preso na sexta-feira à noite. Ele ficou gravemente ferido em um tiroteio com a polícia que levou à morte de seu irmão mais velho, Tamerlan, de 26 anos.

(Reportagem de Ross Kerber)

Tudo o que sabemos sobre:
EUABOSTONFUNERAIS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.