Comércio americano torce por aumento das vendas antes do Natal

Os comerciantes americanos se prepararam para abrir as portas logo cedo neste sábado numa última e desesperada tentativa de salvar as vendas de final de ano, com a dificuldade adicional de uma tempestade de inverno atingindo o meio-oeste e o nordeste do país. O tempo ruim manteve muitos consumidores em casa na sexta-feira, e a expectativa é de chuva e neve em muitas regiões durante o final de semana. A tempestade acontece no pior momento para as cadeias de lojas americanas, que estão tentando salvar uma temporada crítica de compras e atrair os consumidores ressabiados com a recessão no último final de semana antes do Natal. Muitos consumidores afirmaram que vão dar poucos presentes este ano e estão procurando promoções, péssimas notícias para os lojistas, que podem ter seu pior final de ano desde o início dos anos 1990. Stacy Maites parou no meio da neve na sexta-feira para olhar a vitrine da Saks da Quinta Avenida, filial mais importante da loja. Ela está preocupada com seu trabalho em uma empresa de tecnologia e limitou os convidados para sua festa anual de Natal a 20 pessoas. "É mínima, e apenas quando encontro produtos em promoção", disse ela sobre suas compras de presentes este ano. A Federação Nacional de Varejo previu na sexta-feira que dois terços dos americanos ainda têm compras de final de ano a fazer, enquanto 44,5 milhões de consumidores ainda nem começaram. "Com tantas compras ainda a serem feitas, o final de semana antes do Natal será um dos mais importantes períodos do ano para os lojistas", disse Tracy Mullin, presidente e CEO da federação. Lojas coma a Macy's e a J.C. Penney estavam prontas para dar as boas-vindas aos consumidores logo às seis horas da manhã, depois de terem ficado abertas até meia-noite na sexta-feira. "É o nosso último dia de vendas antes do Natal", avisou a Macy's num anúncio de página inteira na maioria dos jornais americanos, acompanhado de um cupom no valor de dez dólares. A cadeia de lojas de departamentos manteve suas portas abertas por 24 horas em algumas cidades da costa leste. A Gap e a Old Navy anunciaram produtos a seis dólares em itens que vão de chalés a chinelos, enquanto a Toys "R" Us declarou que alguns brinquedos teriam desconto de 50 por cento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.