Joe Skipper/Reuters
Joe Skipper/Reuters

Comício lança informalmente evento republicano pela campanha de Romney

Ideólogo do Tea Party, médico Ron Paul foi homenageado por uma platéia de 10 mil pessoas na Flórida; convenção para lançar candidatura oficial de Mitt Romney deve acontecer na 3ª

Denise Chrispim Marin, Correspondente, WASHINGTON,

26 de agosto de 2012 | 19h56

A primeira convenção republicana da era do Tea Party começou informalmente neste domingo, 26, em Tampa, com um comício em homenagem a uma de suas figuras mais radicais e menos submissas aos rigores da campanha de Mitt Romney. O médico obstreta Ron Paul, deputado federal em seu 11o mandato, foi ovacionado por uma platéia de cerca de 10 mil fãs no centro esportivo da Universidade do Sul da Flórida. Ideólogo do Tea Party, Paul foi um derrotados nas primárias republicanas por Romney, que será aclamado nesta semana candidato à Casa Branca.

 

A convenção oficial começaria na segunda com uma homenagem formal a Ron Paul que, aos 77 anos, fez sua terceira e última tentativa de ser o candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos. A programação, porém, foi cancelada por causa do avanço do furacão Isaac em direção à Flórida. Convidado a discursar nos principais eventos da convenção, o político se recusou porque fora coagido a passar seu texto pelo crivo de Romney e a expressar seu apoio integral ao candidato.

 

"Não seria o meu discurso. Seria desfazer tudo o que eu fiz nos últimos 30 anos", afirmou recentemente à imprensa. "Eu não apoio ele totalmente para ser o presidente (dos EUA)."

Paul, durante as primárias, mostrou-se mais radical do que seus rivais igualmente conectados ao Tea Party e atraiu ampla simpatia dos movimentos "occupy" nos EUA.

 

Em seus discursos, afirmou serem os EUA os responsáveis pelos atentados de 11 de setembro de 2001. Para ele, o programa nuclear do Irã não é um problema real, e Washington deve parar de apoiar Israel. Como governante, ele retomaria o ouro como padrão cambial e eliminaria o Federal Reserve e o IRS (banco central e receita federal americanos, respectivamente).

 

Agora, quase aposentado, deixa o filho Rand Paul, senador pelo Kentucky, como sucessor e como uma das estrelas do Tea Party. "Não há dúvidas de que o movimento criado por Paul é o futuro. Você não acredita quantos admiradores Paul tem no Brasil, na Espanha, na Itália e em todo o mundo", afirmou o economista Lew Rockwell ao San Francisco Chronicle, enquanto esperava o discurso de seu mestre.

 

Boa parte de seu ideário em favor do Estado pequeno e sem interferência na vida e nas escolhas do cidadão foi absorvida pelas diferentes facções do Tea Party. E boa parte dos dogmas do Tea Party está expressa na plataforma republicana para a eleição de 2012, a ser aprovada nesta semana na convenção. Segundo Russ Walker, vice-presidente do FreedomWorks, um dos braços do Tea Party, a cúpula do partido foi bastante "aberta às nossas ideias".

 

Mesmo assim, o partido afastou as figuras mais celebradas do Tea Party do palco principal da convenção, como meio de evitar a fuga de eleitores independentes e de republicanos moderados. Na noite de ontem, duas estrelas ofuscadas - a deputada federal Michele Bachmann e o empresário Herman Cain, ambos concorrentes de Romney nas primárias republicanas - liderariam um comício do Tea Party também em Tampa.

 

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.