Comissário da ONU visita Ossétia e pede volta de refugiados

O Alto Comissário das Nações Unidaspara Refugiados, António Guterres, chegou à capital da Ossétiado Sul nesta sexta-feira e fez um apelo pela volta voluntáriados refugiados que fugiram do conflito na região separatista daGeórgia. Guterres discutiu com autoridades locais a situaçãohumanitária e a perspectiva de acesso para os esforços de ajudana Ossétia do Sul, disse a agência da ONU para refugiados(ACNUR). Guterres é a primeira autoridade de alto escalão da ONU avisitar a Ossétia do Sul desde que Rússia e Geórgia entraram emguerra. O governo georgiano tentou retomar à força a provínciarebelde da Ossétia do Sul, em 7 e 8 de agosto, provocando umcontra-ataque pesado de Moscou. Anteriormente, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha(CICV) era a única agência internacional a ter acesso total aTskhinvali, capital da Ossétia do Sul, onde dezenas de milharesde civis precisavam de assistência humanitária. Guterres e o ministro russo de Relações Exteriores, SergeiLavrov, concordou com a idéia de que todos os civis que foramforçados a fugir da região devido ao conflito devem ter odireito de voltar para casa, informou a ACNUR. As autoridades russas estimam que mais de 30 mil pessoas serefugiaram no território vizinho da Ossétia do Norte, naRússia. Antes de viajar a Tskhinvali, Guterres visitou refugiadosda Ossétia do Sul em Vladikavkaz, a principal cidade daprovíncia vizinha russa. "Está muito claro para mim que a maior parte deles aquiquer voltar para casa o mais rápido possível", disse Guterresde acordo com a ACNUR. "Trabalhando com refugiados ao redor do mundo, nós semprepreferimos uma repatriação voluntária e nós certamente queremosque isto seja possível bem em breve." (Por Stephanie Nebehay e Jonathan Lynn)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.