Condoleezza Rice viaja à Europa em visita de despedida

A secretária de Estado americana passará por Londres, Bruxelas, Roma, Helsinque e Copenhague

Efe

29 de novembro de 2008 | 20h55

A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, iniciará no domingo, 30, uma viagem de seis dias à Europa, onde visitará Londres, Bruxelas, Roma, Helsinque e Copenhague, em um roteiro de trabalho que será também sua despedida. A primeira parada de sua estadia na Europa, que se prolongará até 5 de dezembro, será em Londres, onde se reunirá com o ministro Relações Exteriores britânico, David Miliband. De 2 a 3 de dezembro estará em Bruxelas para participar da reunião anual dos ministros de Relações Exteriores dos países-membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), segundo a agenda de viagem fornecida por seu porta-voz, Sean McCormack. Neste encontro multilateral, Rice abordará a estratégia a ser seguida no Afeganistão e dará sua visão da guerra dos Estados Unidos contra a insurgência, em um momento no qual a situação se agravou e Washington está revisando sua política nesse país. Neste fórum, Rice também reiterará seu apoio a uma futura integração da Geórgia e da Ucrânia à Otan, embora na quarta-feira tenha afirmado que não insistirá em dar garantias de acesso ao Plano de Ação para a Adesão (MAP) para esses países. A secretária de Estado considera que, através das comissões da Otan para Geórgia e Ucrânia, os países-membros podem intensificar seu diálogo e suas atividades em relação ao futuro desses Estados na Aliança Atlântica e que, perante as alternativas existentes, não é necessário discutir sobre o MAP neste momento. Após Bruxelas, Rice irá para Roma, onde se reunirá com o primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, e o chanceler, Franco Frattini. Em 4 de dezembro, ela assistirá em Helsinque à reunião ministerial da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), e aproveitará para se encontrar com autoridades finlandesas. Sua última parada será Copenhague, onde manterá um encontro bilateral com o primeiro-ministro dinamarquês, Anders Fogh Rasmussen, e o ministro de Relações Exteriores, Per Stig Moller. O mais provável é que esta viagem sirva à Rice para despedir-se de seus colegas europeus antes de deixar o cargo em 20 de janeiro e voltar à Universidade de Stanford para escrever "um ou dois livros", como ela mesma contou.

Tudo o que sabemos sobre:
Condoleezza Rice

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.