Congressista dos EUA quer Venezuela em lista do terrorismo

Membro do partido republicano afirma que governo de Chavez é 'perigoso' e não deve ser 'subestimado'

estadao.com.br,

27 de outubro de 2009 | 22h39

O congressista americano, Connie Mack, do partido republicano, anunciou nesta terça-feira, 27, que apresentou uma resolução no Congresso dos Estados Unidos pedindo que o governo de seu país inclua a Venezuela na lista de países que dão suporte ao terrorismo, informou a agência de notícias France Press.

 

A resolução foi apresentada em conjunto com o congressista Ron Klein, que é do partido Democrata, historicamente mais à esquerda no campo político que o rival Republicano. A France Press publicou a declaração de Mack: "A Venezuela é um perigo que não deve ser subestimado".

 

Na lista que o republicano e seu colega democrata querem incluir a Venezuela, encontram-se Cuba, Sudão, Irã e Síria. A Coreia do Norte foi retirada deste conjunto no último dia 11 de outubro. Os países que são classificados desta forma pelo governo norte-americano não podem receber nenhum tipo de ajuda econômica dos Estados Unidos.

 

A France Press teve acesso ao texto da resolução apresentada por Connie Mack. No relatório, o republicano aponta que a Venezuela apoia as ações das Farc na Colômbia e também o Hezbolá.

 

Além disso, cita diversas vezes o bom relacionamento entre Venezuela e o Irã.

 

Caracas respondeu afirmando que sua relação com Teerã não oferece perigo para os Estados Unidos e para nenhum país no mundo.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAVenezuela. Connie Mackterrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.