Conheça os principais escândalos envolvendo Karl Rove

Estrategista da Casa Branca pode estar por trás dos casos mais polêmicos que atingiram a Casa Branca

13 de agosto de 2007 | 20h15

A saída de Karl Rove da Casa Branca, anunciada nesta segunda-feira, 13, acontece no meio de um acalorado debate sobre seu suposto protagonismo na demissão de nove promotores federais, que, segundo os democratas, obedeceu motivos políticos. Veja Também Karl Rove foi o 'cérebro' de George W. Bush Bush agradece 'enorme sacrifício' de Rove Estrategista de Bush deixa a Casa Branca  No entanto, essa é apenas uma das polêmicas nas quais o amigo e estrategista do presidente George W. Bush encontra-se envolvido. Confira abaixo um resumo dos principais escândalos vinculados ao nome de Rove. Os primeiros anos - Ainda estudante, Rove foi responsável por levar alcoólatras e mendigos para uma recepção de financiamento de campanha com cerveja grátis de um candidato a governador pelo Partido Democrata. Mais velho, ele classificou o episódio como "travessura de adolescente" Juventude - Nos anos 1970, Rove tornou-se presidente da juventude republicana, voltando a ser acusado por "truques sujos". Ele chegou a ser investigado por legisladores estaduais do Texas; No Texas - Em 1994, um anos depois de Rove unir-se a Bush no Texas, surgiram rumores de que a então governadora democrata do estado Anne Richards seria lésbica. Eleitores começaram a receber ligações de um suposto instituto de pesquisa que perguntava: "Se você soubesse que a equipe da governadora Richards é dominada por lésbicas, você estaria mais ou menos propenso a votar?" A manobra foi atribuída a Rove; John McCain - Mesmo membros do Partido Republicano foram vítimas de manobras sujas atribuídas a Rove. Pré-candidato às eleições presidenciais em 2000 e concorrente direto de George W. Bush, o republicano John McCain teve sua campanha prejudicada depois de surgirem rumores de que ele teria tido um filho negro fruto de uma relação extramatrimonial. Mais uma vez, Rove estaria por trás da disseminação da polêmica; John Kerry - Quatro anos mais tarde foi a vez do candidato democrata à presidência John Kerry ser alvo de uma "campanha de propaganda" desencadeada por um grupo supostamente organizado por Rove. Eles questionavam os êxitos do senador na guerra do Vietnã; Caso Plame - Mas foi durante os dois mandatos de Bush que Rove viu-se mais perto de sofrer as conseqüências de manobras atribuídas a ele. O estrategista foi interrogado cinco vezes sobre vazamento da identidade da agente da CIA Valerie Plame, mas nunca foi condenado. Casada com um diplomata americano crítico da guerra do Iraque, Plame teve seu nome exposto em uma suposta tentativa de retaliação. O caso levou a uma sentença de prisão de 30 meses para Lewis "Scooter" Libby, assessor do vice-presidente, Dick Cheney. Segundo evidências coletadas por um jornalista do New York Times, no entanto, Rove teria deixado vazar o nome da agente durante uma conversa telefônica; Promotores despedidos - No mais recente caso envolvendo o nome do estrategista do presidente Bush, Rove quase foi obrigado a depor para uma comissão do Congresso que investiga a suposta demissão política de oito procuradores federais pelo Departamento de Justiça. O secretário responsável pela pasta, Antonio Gonzales, disse ter conversado com Rove em ao menos duas ocasiões sobre a demissão de um promotor do Estado do Novo México, mas Bush utilizou um dispositivo legal para impedir que ele testemunhasse.

Tudo o que sabemos sobre:
Karl RoveCasa BrancaEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.